Juíza assassinada no Rio dispensou proteção em 2007, diz desembargador

O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, disse que a juíza Patrícia Lourival Acioli, morta a tiros dentro do carro dela na noite de quinta-feira (11), dispensou proteção policial em 2007.

Deixe um comentário