Jaula para bebês, arma de cano curvo e outras invenções inúteis

A jaula para bebês, 1937

As jaulas de metal foram distribuídas a membros do Clube do Bebê de Chelsea, em Londres que não tinham jardins ou escrúpulos de colocar uma criança em uma caixa pendurada acima de uma rua movimentada. É desnecessário dizer que elas não deslancharam como mecanismo para o cuidado infantil.

Segurador de bebê, 1937

Jack Milford (direita), jogador do Monarcas de Wembley, time de hóquei no gelo, inventou um mecanismo para que seu bebê pudesse se juntar a ele e à mulher na pista de gelo. Quem não gostaria de levar algo tão frágil quanto um bebê a uma superfície dura como pedra e com pouquíssima fricção?

Refreador de cachorro, 1940

Isso não é mais encontrado em pet shops.

Sutiãs de taça, 1949

Charles L. Langs posa com sua criação, os sutiãs sem alça, sem parte de trás, sem fio e sem suporte. Sua mulher parece desconfiada.

Arma de cano encurvado, 1953

Essa sub-metralhadora M3 tinha um cano curvado permitindo que se atire em esquinas. É a arma perfeita para aquele cara que gosta de “atirar primeiro e ver no que está atirando depois”.

Piteira para dias de chuva, 1954

O presidente da empresa Zeus Corp., Robert L. Stern, fuma um cigarro com a piteira para dias de chuva que ele próprio desenhou.

Pneus iluminados, 1961

Uma mulher ajeita sua meia-calça à luz dos pneus iluminados da Goodyear. O pneu é feito de um material de borracha sintética e é acesso por bulbos montados dentro do aro da roda.

Forno externo para assar peru, 1966

Você quer realmente causar uma boa impressão com a família do seu marido nesse Dia de Ação de Graças? Tente desenterrar um desses no eBay.

Seios com batimento cardíaco, 1963

Um par de seios artificiais com um batimento cardíaco interno, uma invenção do Japão, voltada para ajudar crianças muito pequenas a dormir.

Bolsa anti-bandido, 1963

O inventor John H. T. Rinfret faz uma demonstração da bolsa anti-bandido. Para evitar ladrões a corrente é puxada e o fundo da pasta cai, espalhando o conteúdo. Isso vai impedir os ladrões de levarem o seu dinheiro! Não, espera. Não vai.

Eletromedidor de Hubbard, 1968

O escritor de ficção científica americano e fundador da Igreja de Cientologia L. Ron Hubbard usa seu eletromedidor para determinar se tomates sentem dor. Seu trabalho o levou a conclusão de que tomates “gritam ao serem cortados”.

Capuz de banho, 1970

Para a mulher que não gosta de lavar do rosto a maquiagem. O conceito na verdade tem algum mérito, mas o capuz de plastico simplesmente não fez sucesso com as mulheres.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário