Insônia: uma nova epidemia?

Um estudo feito na Universidade de Warwick, na Grã-Bretanha, revelou que cerca de 150 milhões de pessoas que vivem em países em desenvolvimento têm problemas relacionados ao sono. A grande quantidade de afetados por esses problemas fazem com que, em regiões da África e da Ásia, a questão ganhe contornos de epidemia.

O número de casos de distúrbios do sono nessas regiões já se aproxima das taxas apresentadas por países desenvolvidos. O motivo, segundo pesquisadores, seria o aumento dos casos de depressão, ansiedade e outros problemas emocionais nesses países mais pobres.

O estudo mostrou ainda que 16,6% dos adultos destes países em desenvolvimento apresentam problemas graves relacionados ao sono, enquanto em lugares como EUA e Canadá essa taxa é de 20%.

Problema duplo de saúde
 Ao todo, cerca de 44 mil pessoas com mais de 50 anos provenientes de Gana, Tanzânia, África do Sul, Quênia, Índia, Bangladesh, Vietnã e Indonésia participaram do estudo.

O coordenador do estudo, Saverio Strangers, ressaltou que essas informações revelam “que a incidência de problemas do sono nos países em desenvolvimento é muito maior do que se pensava”, o que, segundo o pesquisador, “é particularmente preocupante”, uma vez que “as nações mais pobres enfrentam um problema duplo de saúde, que envolve o alto custo de tratamento de doenças infecciosas, como a Aids, e também o aumento das taxas de problemas crônicos, como as doenças cardiovasculares e o câncer”.

Outro ponto destacado pelo pesquisador é que a maioria das pessoas entrevistadas vivia em áreas rurais, refutando a ideia de que a insônia é um problema típico das zonas urbanas.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

 

Deixe um comentário