Imprensa internacional destaca gravação envolvendo Temer

.
A revelação de que o presidente Michel Temer foi gravado dando aval à compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha está repercutindo na imprensa internacional desde a noite desta quarta-feira, 17.

Leia também: Oposição pede impeachment de Michel Temer

A versão online do New York Times informa que Temer endossou propina de empresários em fita secreta. O Washington Post destaca que o presidente brasileiro nega relato de que endossou pagamento de propina para Cunha. A agência Bloomberg revelou que um fundo ETF brasileiro comercializado em Tóquio caiu 8% em seguido à revelação feita pelo jornal O Globo.

A notícia também ganhou destaque no Canadá. O Globe and Mail afirma que a crise política brasileira se aprofunda e ressalta que Temer foi supostamente gravado combinando propina.

O argentino El Clarín lembra em sua manchete online que “Cunha não foi qualquer personagem da história do impeachment contra [a ex-presidente] Dilma. Na realidade, foi o homem que desatou o processo e que logo conduziu com respaldo de uma grande maioria da Câmara”.

O espanhol El Mundo afirma que a gravação pode ser “letal” para Michel Temer: “O áudio, cuja existência foi revelada nesta quarta, poderia ser letal para o governo Temer, já que pela primeira vez emerge com clareza um suposto delito cometido durante o exercício de seu mandato”.

Uma reportagem da britânica BBC diz que as acusações contra Temer “geraram ondas de choque em todo o país”.

Na Alemanha, a Deutsche Welle ressaltou que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, cancelou a sessão parlamentar após saber da notícia. A revelação, ainda segundo a publicação, “causou comoção na opinião pública brasileira, que especulava as graves consequências para Temer e seu governo”.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Deixe um comentário