Brasil  

Imprensa brasileira deveria assumir que tem candidato e partido, diz Lula

Fonte: votebrasil.com

SÃO PAULO – O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a fazer duras críticas à imprensa, rebateu acusações de autoritarismo e reafirmou seu papel de líder partidário simultâneo ao de chefe de Estado, em longa entrevista concedida ao portal Terra, cuja primeira parte foi publicada nesta manhã. Lula sugeriu que a imprensa “deveria assumir categoricamente” que tem candidato e partido, deixando de “vender uma neutralidade disfarçada”. O presidente assumiu um tom cauteloso ao responder se Dilma Rousseff (PT) será eleita já no primeiro turno da eleição.

“A imprensa brasileira deveria assumir categoricamente que ela tem um candidato e tem um partido, que falasse. Seria mais simples, seria mais fácil. O que não dá é para as pessoas ficarem vendendo uma neutralidade disfarçada”, afirmou o presidente da República.

Questionado sobre os ataques feitos anteriormente à imprensa, Lula disse duvidar “que exista um país na face da terra com mais liberdade de comunicação do que neste País, da parte do governo”.

“Agora, a verdade é que nós temos nove ou dez famílias que dominam toda a comunicação desse País. A verdade é essa. A verdade é que você viaja pelo Brasil e você tem duas ou três famílias que são donas dos canais de televisão.

E os mesmos são donos das rádios e os mesmos são donos dos jornais…”, afirmou o presidente. Para ele, “muita gente” não teria gostado do fato de seu governo ter distribuído os recursos para publicidade para imprensa entre vários Estados brasileiros. “Hoje, o jornalzinho do interior recebe uma parcela da publicidade do governo.”

Para Lula, “o que acontece muitas vezes é que uma crítica que você recebe é tida como democrática e uma crítica que você faz é tida como antidemocrática”. “Ou seja, como se determinados setores da imprensa estivessem acima de Deus e ninguém pudesse ser criticado”, disse o presidente. No entendimento de Lula, “a posição de um presidente é tomada como ser humano, jornalista escreve como ser humano, juiz julga como ser humano. Ou seja, temos um padrão de comportamento e julgamento e, portanto, todos nós estamos à mercê da crítica”.

Num trecho da entrevista, o presidente disse que, independentemente de quem seja o futuro presidente da República, um novo marco regulatório de telecomunicações precisa ser discutido. “E as pessoas, ao invés de ficarem contra, deveriam participar, ajudar a construir, porque será inexorável”, afirmou.

“Discutir isso é uma necessidade da nação brasileira. Uma necessidade dos empresários, dos especialistas, dos jornalistas, ou seja de todo o mundo para ver se a gente se coloca de acordo com o que nós queremos de telecomunicações para o futuro do País.”

Sobre as críticas ao seu comportamento como líder partidário, Lula disse que “não é possível o presidente da República agir como magistrado. “Agora, quando chega época de eleição não é possível o presidente da República ficar como magistrado porque eu tenho um lado.

Eu tenho um partido e tenho candidato”, afirmou. Ao ser questionado se não tem interferido no processo eleitoral ao adotar esse comportamento, o presidente Lula rebateu: “Deveria ser cobrado quem perdeu. Quem não conseguiu fazer o sucessor, porque o sucessor é uma das prioridades de qualquer governo para dar continuidade a um programa que você acredita que vai acontecer”.

Lula disse ter medo que o Brasil “sofra um retrocesso” caso sua candidata não seja eleita. “Por isso que eu tenho candidato. Seria inexplicável para a sociedade se eu entrasse numa redoma de vidro e falasse: olha, aconteça o que acontecer nas eleições, o presidente da República não pode dar palpite. Mas nem para escolher o Papa acontece isso”, afirmou o presidente.

O presidente mostrou cautela sobre a possibilidade de Dilma vencer a eleição no 1º turno no próximo dia 3. “O que eu acho extremamente importante é que nesse processo eleitoral, a gente precisa primeiro ter muita cautela. Esse é o momento de um time que está ganhando de dois a zero.

O adversário está dando botinada, está chutando no peito, está chutando na canela, o juiz não está apitando falta e nós não podemos perder a cabeça, porque o que eles querem é expulsar alguém do nosso time, para a gente ficar em minoria”, disse o presidente.

Deixe um comentário