Brasil  

OAB: atuação de Prótogenes Queiroz tem que ser investigada

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), através do seu presidente Cezar Britto, após tomar conhecimento da reportagem da revista Veja, divulgou nota, neste domingo, defendendo uma rigorosa apuração contra o delegado Protógenes Queiroz, que teria investigado, de forma ilegal, autoridades. A OAB declarou que a CPI dos Grampos, deve ser prorrogada, dando-lhe tempo para ir mais fundo nas investigações sobre as ações  praticadas pelo delegado Federal, quando comandou a Operação Satiagrata, ressaltando, ainda, que deve se criar um órgão de controle para acompanhar a atuação dos policiais e evitar abusos.
Em sua edição deste final de semana, a revista Veja divulgou que um suposto material recolhido pela Polícia Federal, o delegado Prótogenes de Queiroz teria espionado ilegalmente a vida da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), além de senadores e deputados.
“A denúncia de múltiplos grampos ilegais, atribuídos à responsabilidade do delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, no curso da Operação Satiagraha, excede as mais pessimistas estimativas de agressão e afronta ao Estado democrático de Direito”, comentou Cezar Britto.
Na nota, o presidente nacional da OAB observa que os vários grampos ilegais atribuídos ao delegado federal é uma afronta ao Estado democrático de Direito e que a OAB já havia denunciado o que classifica de “Estado de Bisbilhotice” e avalia que a realização de grampos e monitoramentos irregulares “põe em insegurança toda a cidadania.

Deixe um comentário