Governo vai elevar participação da Petrobras na produção de etanol

Objetivo é evitar a disparada dos preços do combustível. Decisão foi tomada na segunda-feira, 20, pela presidenta Dilma Rousseff.
 
O governo pretende elevar a participação da Petrobras no mercado produtor de etanol dos atuais 5% para 12%. O objetivo é que a estatal construa novas usinas. O plano também prevê financiamento do BNDES para a ampliação da estocagem nos canaviais, a fim de evitar a disparada de preços do combustível.

A decisão foi tomada na segunda-feira, 20, em uma reunião comandada pela presidente Dilma Rousseff, que contou com a participação dos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e de Minas e Energia, Edison Lobão, além de representantes do Ministério da Agricultura. Segundo Lobão, essa é uma medida preventiva.

“Tomamos uma posição porque este ano houve elevação grande do preço do etanol. Não houve escassez do produto. Mas se não agirmos agora, pode haver crise semelhante com o preço do álcool no próximo ano”, disse Lobão.

A Petrobras terá papel central nesta força-tarefa devido à sua capacidade de mobilizar recursos e influenciar o mercado. Para forçar uma queda dos preços da gasolina e do álcool nas bombas, a estatal foi obrigada em abril, pelo Palácio do Planalto, a reduzir sua tabela de venda no atacado em cerca de 7%.

“Ficou determinado que a Petrobras aumentará sua participação no mercado de etanol de 5% para 12% no mais curto espaço de tempo. Para isso, a estratégia é construir preferencialmente usinas. Não é algo barato. Mas como é de interesse do povo, não se deve medir esforços”, afirmou o ministro.

Lobão argumentou que, para crescer a produção, a única opção é a construção de novas usinas, já que a simples aquisição das unidades já existentes não resolveria o problema.

A ideia, de acordo com o ministro de Minas e Energia, é que também se feche um acordo para melhorar e elevar a estocagem de álcool combustível – agora regulado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) – e que o BNDES financie com juros mais baixos a renovação dos canaviais, de forma a aumentar a eficiência e a produtividade do setor sucroalcooleiro.

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário