Brasil  

Filho de Sarney está envolvido em fraude de US$ 1 milhão, diz PF

Fernando Sarney, lavou e repartiu US$ 1 milhão enviados ilegalmente ao exterior.

A Polícia Federal (PF) afirmou que Fernando Sarney, filho de José Sarney, lavou e repartiu US$ 1 milhão enviado ilegalmente ao exterior. O inquérito da PF apontou um esquema fraudulento de comércio exterior para trazer o dinheiro de volta ao Brasil, sem o pagamento de impostos. Fernando Sarney já foi indiciado por evasão de divisas e lavagem de dinheiro, mas nega qualquer acusação.

O filho do presidente do Senado usou dinheiro, não declarado à Receita Federal, de uma conta nas Bahamas para pagar dívidas de um grupo empresarial do Piauí com exportador chinês. Fernando recebeu no Brasil recursos equivalentes aos depositados no exterior. O mecanismo é reconhecido como dólar-cabo — instrumento financeiro usado quando o beneficiário tem conta ilegal no exterior e precisa de divisas em real no país.

Passos da investigação

A polícia refez o caminho do dinheiro recebido por um fabricante chinês de peças e acessórios de motocicletas, após receber informações do governo chinês. A China confirmou a conta de Fernando Sarney nas Bahamas e a transferência de US$ 1 milhão desta conta, em 2008, para o fabricante.

O grupo piauiense realizou uma compra de peças de motocicleta subfaturadas e pagou somente uma parte da dívida — somente o informado à Receita –, sendo o restante quitado por Fernando Sarney, com dinheiro ilegal (não-declarado) transferido das Bahamas. Ao mesmo tempo, o filho de Sarney recebeu a mesma quantia, em reais, do caixa dois da empresa do Piauí, de forma que ambas as partes não recolhessem os impostos.

Deixe um comentário