Brasil  

Fifa reclama de ‘regalias’ a TVs na Lei da Copa

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

‘Regalias’ a emissoras de TV não detentoras dos direitos de transmissão da Copa juntam-se à questão da meia-entrada e da venda de bebidas alcoólicas nos estádios, na lista de itens da lei da Copa que causam insatisfação à Fifa.

Para a federação, o credenciamento a emissoras de TV que não compraram os direitos da Copa do Mundo-2014 deve ser mais restrito. Interlocutores da Fifa afirmam que esse trecho é visto como o pior ponto do texto. A entidade máxima do futebol quer que o governo brasileiro reveja esse item da legislação e que privilegie mais as emissoras parceiras.

Na visão da Fifa, esse ponto da lei compromete a boa organização do mundial, uma vez que não são apenas emissoras brasileiras que terão essas regalias de credenciamento. “O questionamento, no entanto, não vale para a cobertura de outros tipos de mídia durante o evento”, explica a coluna Painel FC, da Folha de S. Paulo.

Meia-entrada

A questão da meia-entrada para idosos e estudantes continua em impasse. Segundo a Folha de S. Paulo, caso o direito realmente seja assegurado pela lei brasileira, a Fifa pode aumentar os valores dos ingressos, que ainda não foram divulgados por conta da polêmica.

Na quinta-feira, 20, a federação deve anunciar o calendário de jogos do Mundial e revelar detalhes de sua estratégia para os bilhetes do evento e da Copa das Confederações-2013. A data de início das vendas dos ingressos, que normalmente é um ano antes da Copa, também pode ser anunciada na mesma ocasião.

Este e outros pontos de discordância da Lei Geral da Copa, ainda devem ser debatidos entre o Comitê Organizador Local e a Fifa. Mas sobre a questão da meia-entrada, a entidade está descrente de acordo no momento e por isso deve adiar definição dos valores dos bilhetes,apesar de já ter estimativas em seu planejamento para o Mundial. Os bilhetes da Copa da África do Sul, no ano passado, entre US$ 20 e US$ 900 servem de parâmetro.

A disputa com o governo brasileiro e as demoras nas construções e reformas dos estádios estão atrasando o cronograma de divulgação de datas e locais de jogos, em relação a mundiais passados.

O anúncio das sedes das partidas deveria ter sido em junho. Mas, foi adiado já que o Itaquerão estava apenas começando as obras. Todos esses atrasos afetam também a negociação dos ingressos, também protelada, já que influenciam o quesito.

Denúncia no Ministério do Esporte

O Comitê Organizador não vê as investigações sobre o suposto envolvimento do ministro do Esporte, Orlando Silva, em esquemas de desvio de verbas como um problema. Para o organismo, o ministro vem atrapalhando mais do que ajudando no Mundial, e é visto como obstáculo nas negociações da Lei Geral da Copa.

Deixe um comentário