Excesso de ministérios trava a economia no Brasil, diz ‘Financial Times’

.

timthuUma reportagem publicada na última quarta-feira, 07, no jornal Financial Times critica o excesso de ministérios no Brasil e aponta o pesado Estado brasileiro como umas das principais causas para a queda na produtividade e na competitividade do país.

Intitulada “O gosto por carne de porco explica a taxa de obesidade”, a reportagem diz que, às vésperas das eleições presidenciais, o inchaço do setor público brasileiro não tem conquistado a atenção que deveria.

O texto lembra que o número de ministérios no Brasil quase dobrou desde o governo Fernando Henrique, que terminou seu mandato com 26 ministros. Enquanto isso, o governo Dilma contabiliza 39 ministérios.

De acordo com a reportagem, o número de ministérios no Brasil é quase o dobro da média mundial registrada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O jornal também critica a ineficiência dos ministros e assessores, que apesar de ganharem altos salários, trabalham poucos dias na semana, na maioria das vezes somente meio expediente.

Outra crítica feita pelo jornal é o fato de o sistema político brasileiro ser baseado em coalizões e distribuição de cargos em troca de apoio político.

Gastos públicos sem retorno

Segundo o Financial Times, o governo brasileiro não sabe cortar os gastos públicos, mas sabe como aumentar os impostos cobrados do contribuinte. Em 1999, a carga tributária do país somava 31% do PIB, subindo para 34% em 2005 e 38% na última análise, feita em 2012.

De acordo com o jornal, o governo brasileiro é incapaz de dar serviços públicos equivalentes aos impostos cobrados e ficou em 124º lugar entre 148 países analisados no ranking de eficiência governamental feito em 2013 pelo Fórum Econômico Mundial.

 

Deixe um comentário