‘Eu investigaria com mais rigor’, diz Marina sobre denúncias

Candidata do PV participou de debate na Ordem dos Advogados do Brasil. Ela disse que é preciso investigar suposto tráfico de influência na Casa Civil.

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, afirmou nesta terça-feira (14) que, caso fosse presidente, investigaria com mais rigor as denúncias de suposto tráfico de influência que envolvem a ministra chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, e seu filho, Israel Guerra. “Se fosse em meu governo, eu investigaria com mais rigor. Foi isso que eu sempre fiz e o que eu faço”, disse.

Ela participou de debate na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em Brasília. “É preciso investigação e apuração. A investigação irá apontar culpados, se tiverem. Uma denúncia de tráfico de influência é muito grave. Os envolvidos precisam ser punidos. Eu tenho feito um esforço muito grande para não cair no vale tudo eleitoral”, afirmou a candidata.

Marina disse considerar importante a realização de segundo turno na corrida presidencial, pois dessa forma haveria mais tempo para que os eleitores tomassem conhecimento das denúncias e do resultado das investigações durante o processo eleitoral. “A sociedade brasileira precisa de um segundo turno para que as denúncias sejam esclarecidas. Para dar tempo que os brasileiros sejam informados. Votar duas vezes é pensar duas vezes”, disse.

Um dos principais temas do debate foi a reforma politica. Marina disse ser a candidata que reúne melhores condições para realizar a reforma política. “O problema é que no Brasil, quando não se quer fazer algo, vira consenso. E a reforma política virou consenso. É muito mais fácil para mim fazer a reforma que eles [Dilma e Serra]”, disse.

Deixe um comentário