Saúde  

Especialista diz que álcool é mais perigoso que LSD

Fopnte: opiniaoenoticia.com.br  

É o que afirma David Nutt, professor e presidente do comitê assessor do governo britânico sobre abuso de drogas.

O especialista diz que o álcool e o cigarro trazem mais risco à saúde do que muitas substâncias ilícitas, como a maconha, o LSD e o ecstasy. Nutt defende que é preciso criar um novo sistema de classificação das drogas para que fique claro o tipo de mal causado tanto por substâncias legais quanto por ilegais.

Um ranking elaborado pelo especialista com base nos danos físicos, sociais, e na dependência causada por cada substância coloca o álcool como a quinta droga mais perigosa, após a heroína, cocaína, barbitúricos e metadona. O tabaco aparece na nona posição. A maconha, o LSD e o ecstasy aparecem em 11º, 14º e 18º lugares, respectivamente.

Consumo de álcool no Brasil é um dos mais prejudiciais do mundo

Pesquisa revelou que, enquanto o consumo per capita anual de bebida alcoólica na França é de 18 litros por pessoa, no Brasil ele está abaixo de 8 litros. No entanto, a taxa de abuso e dependência aqui é de 4%, enquanto entre os franceses é de apenas 0,8%.

“Em vez de beber todos os dias, moderadamente, às refeições, como os europeus, os brasileiros bebem tudo de uma vez no fim de semana. É um padrão prejudicial, pois aumenta o risco de dependência e deixa a pessoa mais sujeita a intoxicação e comportamento de risco, como sexo desprotegido, abuso de nicotina e dirigir embriagado”, afirma a pesquisadora do Instituto de Psiquiatria da USP Camilla Magalhães Silveira.

Segundo Camilla, a OMS tem uma escala que vai de 1 a 4 que mostra o quanto é prejudicial o consumo em cada país. O Brasil recebeu nota 4, a de maior gravidade. Os europeus têm um padrão de consumo “protetor”, que, de acordo com ela, até faz bem à saúde.

Deixe um comentário