Erros de bacharéis em prova da OAB mostram despreparo para o exercício da advocacia

“Perca do praso”, em vez de perda de prazo. “Prossedimento”, e não procedimento. “Respaudo”, em lugar de respaldo. “Inlícita”, e não ilícita. Erros de português como esses foram constatados no primeiro exame de 2011 da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Deixe um comentário

Um comentário para “Erros de bacharéis em prova da OAB mostram despreparo para o exercício da advocacia”

  1. ? Anagnost disse:

    1-A OAB não respeita nem o próprio edital do “concurso” que promove, não poderia divulgar as provas dos candidatos reprovados.
    2-Em todo e qualquer concurso haverá erros de português, um caso publicado em um post de entidade suspeita (OAB), que já tentou se defender nessa semana até chamando o Sub-procurador, de SUB, infantil, ingênuo, despudorado…, o que não fica claro é o seguinte, foi um candidato, dois ou três que cometeram tais erros, ou a OAB quer dizer que foram os 94% (130 mil) candidatos reprovados na primeira fase de 2011.3 que cometeram tais erros?
    3- A OAB cria todo um alarde de desinformação enquanto procura se defender da própria população. Pois o parecer do sub procurador publicado a duas e não foi feita nenhuma outra menção a esse assunto exceto pelas instituições se defendendo dos boatos semeados pela OAB, enquanto a repercussão ecoa na internet criando comoção entre as centenas de milhares e até por que não dizer milhões de bacharéis injustiçados pela inconstitucionalidade dessa prova.

    Abaixo assinado contra o Exame aproveitemos a mobilização causada pela notícia para nos expressarmos.

    Nova petição.

    http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N12585