Empresas fantasmas pagaram dívida de avião que caiu com Eduardo Campos

.

A Polícia Federal investiga a suspeita de empresas fantasmas terem pagado dívida de R$ 1,7 milhão do jato que caiu com Eduardo Campos, em Santos, no último dia 13. O dinheiro teria sido usado na compra do Cessna Citation.

Seis empresas, sem lastro financeiro e endereços fantasmas, custearam a compra por meio de transferências bancárias à A.F. Andrade, dona do avião. Elas teriam assinado contratos de empréstimo com o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, que foi o comprador do jato.

Se a suspeita for confirmada, uma nova investigação será aberta em paralelo ao inquérito sobre a queda. A aeronave custou US$ 8,5 milhões.

Empresas e pessoas envolvidas

Algumas das empresas envolvidas são: Geovane Pescados, Vasconcelos & Câmara e RM Construções, que não foram encontradas nos endereços declarados.  Outra que aparece no processo é a Leite Negócios Imobiliários Ltda. Elas fizeram transferências bancárias à empresa dona do jato.

João Carlos Lyra é enteado do ex-senador Luiz Piauhylino Monteiro Filho e fez um depósito de R$ 195 mil para comprar o jato. O filho do ex-senador também financiou a compra. O ex-parlamentar emprestou R$ 325 mil a Lyra e o dinheiro foi transferido à A.F. Andrade.

A Leite Imobiliária, que pertence a Eduardo Bezerra, também emprestou a Lyra R$ 727,7 mil, quantia que seguiu para a conta da A.F. Andrade.

 

Deixe um comentário