Brasil  

Em nova crítica à imprensa, Lula acusa setores da mídia de serem autoritários

Redação Portal IMPRENSA

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez novas críticas à imprensa no último domingo (03). Após participar de uma carreata com a presidenciável Dilma Rousseff (PT) em São Bernardo do Campo (SP), Lula acusou setores da mídia de serem autoritários: “Alguns setores não se deram conta de que as pessoas da senzala estão dentro da casa grande agora e precisam conviver democraticamente na diversidade”.

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, o presidente afirmou que o Brasil “dá lições ao mundo de democracia e de liberdade de imprensa”, e que a liberdade poderia ser confundida com “autoritarismo”.

A carreata do PT no ABC paulista saiu da sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e terminou em frente à igreja da Matriz, no centro de São Bernardo. O trajeto foi acompanhado por militantes petistas, que chegaram a levantar faixas para reclamar da imprensa.

Sobre Dilma, Lula disse que ex-ministra da Casa Civil teria “muita chance” de ganhar a eleição já no primeiro turno, e declarou que a campanha da petista foi a única a sair às ruas, enquanto eles preferiram usar “apenas o espaço na televisão, certamente preocupados em não ter a receptividade do povo”. A declaração foi feita antes do final das votações, quando se verificou que haverá segundo turno entre Dilma e José Serra (PSDB).

O líder brasileiro também fez críticas ao governo de São Paulo, que há quase 16 anos é comandado pelo PSDB – Geraldo Alckmin foi eleito governador em primeiro turno -, e disse que apostava nas vitórias de Marta Suplicy e Netinho para representar o Estado paulista no Senado.

O ex-torneiro mecânico afirmou que deixará a presidência “com a consciência tranquila”, e que seu governo fez “muito mais do que já foi feito em qualquer outro momento da história do Brasil”. Lula disse, ainda, que não sabe o que fará depois de passar o cargo ao próximo presidente: “Para mim, vai ser uma incógnita, porque não sei o que vai acontecer a partir do dia 2 (de janeiro de 2011), pois vou levantar de manhã e não vou ter mais ninguém  para xingar”, declarou.

Em uma entrevista concedida ao portal Carta Maior, na última quinta (30), Lula havia dito que “seria mais fácil que alguns meios de comunicação assumissem, categoricamente, seu compromisso partidário”. Para o presidente, alguns veículos de imprensa estariam atuando como partidos durante a cobertura eleitoral. Mesmo criticando a mídia, Lula afirmou que se considera “um defensor juramentado da liberdade de expressão e da democracia”.

Os comentários do petista sobre a imprensa foram criticados pelo advogado Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, Bicudo disse que a atitude de Lula seria “um indício do que pode ser um governo autoritário”, e que “tudo o que se diz contrário à vontade dele é mentira, é para desestabilizar o governo, e por aí vai”.

Deixe um comentário

Um comentário para “Em nova crítica à imprensa, Lula acusa setores da mídia de serem autoritários”

  1. ? Imprensa brasileira disse:

    A política como ela é, e sempre será
    Primeiro, eu quero parabenizar-los pelo informação serie e parcial.
    Nós sabemos do massacre da motosserra liderada pela imprensa partidária e sei que o presidente Lula as vezes, eu digo as vezes perde a noção. Mas quais as armas usar para defender sua posição e seus ideais.
    Ou será que o presidente Lula deveria impor e planejar estratégicas para controlar a imprensa brasileira.
    Na revista Veja tem um matéria sobre os tentáculos do polvo Lula sobre o poder; uma alusão ao poder de presidente.
    Mas os tentáculos do polvo estão liderados pela imprensa capitalista e cheio de más intenções.

    http://www.imprensabrasileira.com.br/