Eleições 2012: artistas ganharão mais espaço

As eleições de 2010 chamaram a atenção pelo grande número de artistas, atletas e outras personalidades que conseguiram se eleger para a Câmara dos Deputados ou assembleias legislativas país afora. Os nomes mais emblemáticos foram o do ex-jogador de futebol Romário, do ex-pugilista Popó e do humorista Tiririca.

Para as eleições municipais, as celebridades devem ganhar cada vez mais espaço, na opinião de analistas políticos.

O fenômeno não é novo: desde a redemocratização, famosos conseguem vagas para cargos no Legislativo municipal, estadual e federal. Mas os especialistas ouvidos pelo Portal da Band apontam uma tendência forte de crescimento, que deve se fortalecer este ano.

“Sem dúvida, esta é uma nova tendência da política nacional. E vai crescer ainda mais em 2012”, avalia Flávio Britto, especialista em direito eleitoral pela Escola Judiciária do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Os artistas trazem muitas vantagens para os partidos e por isso essa participação vai aumentar”.

Quem também partilha desta opinião é o especialista em direito constitucional do Instituto Millenium, João Antonio Wiegerinck. “Existe uma tendência de cada vez mais celebridades se elegerem, em detrimento dos políticos já conhecidos”, afirma.

Causas

Inicialmente, os partidos convidavam pessoas conhecidas do meio artístico e esportivo para trazer mais votos de legenda e, desta forma, aumentar o número de eleitos de um partido ou coligação. No entanto, esses candidatos passaram a ganhar mais votos do que o esperado e tomando espaço dos políticos tradicionais.

Para Britto, esse fenômeno é fruto do desencanto da população. “Por outro lado, ele vê aquele artista lançando a candidatura e acaba atribuindo um voto emocional”. A exposição na mídia também colabora. “Eles sempre são mais populares do que os políticos no imaginário da população”.

Wiegerinck aponta outro fator que colabora para a atração de votos. “Quando um assunto sério se transforma em show, fica mais fácil e mais agradável para o povo digerir”.

O especialista também cita o desencanto com a classe política: “Existe um descrédito em relação à etica e honestidade dos políticos com tradição eleitoreira”.

Vantagens para os partidos

Os analistas apontam que, mesmo tomando vagas destinadas aos políticos de carreira, os artistas trazem mais vantagens do que prejuízos aos partidos.

Britto lembra que um partido que conta com muitos artistas e ex-atletas, na sua lista de candidatos, tem vantagens financeiras. “Ter alguém famoso pode fazer a legenda arrecadar mais, ou ainda gastar menos com propaganda, já que esta celebridade é bastante conhecida”.

Ele também lembra que, nas eleições deste ano, um candidato famoso pode puxar muitos vereadores de um mesmo partido. “Veja o caso do Tiririca: ele puxou cinco deputados, e o partido investiu bem menos. Sem o Tiririca, talvez o PR gastasse milhões sem a garantia de que eles seriam eleitos”.

Conscientização

Wiegerinck acredita em um efeito irônico na eleição de alguns artistas. Embora eles sejam eleitos por um desinteresse político da população, os “famosos” acabam expondo as falhas do sistema político-administrativo do país.

“Por exemplo, quando o Tiririca foi eleito, ele fez um comercial dizendo que na Câmara ninguém fazia nada”, explica. “Apesar de ser vergonhoso um país eleger esse tipo de candidato, é justamente ele quem traz à tona fatos obscuros da política”.

Britto, por sua vez, destaca que muitas celebridades não conseguem manter a carreira política. “Sem qualificação técnica e sem uma boa coordenação de assessoria, eles acabam se tornando políticos de um único mandato”.

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário