Brasil  

Eduardo Paes a caminho de se tornar um um corvo ou um herói da Globo.

Saiu no Globo deste domingo, primeira página:
Paes diz que remoção de favelas não pode ser tabu…
”a remoção não é a melhor opção no caso de comunidades já consolidadas, mas o assunto não pode ser tratado como um tabu, nem descartado completamente“.

Ou seja, a remoção de favelas já consolidadas não pode ser descartada completamente.Eduardo Paes é o que é. Na CPI do Mensalão, escorria uma gosma de ódio pelo canto de seus lábios.
Ele queria o impeachment do presidente Lula hoje, agora !
Com ódio e fúria.
Rodrigo Maia, ao lado dele, era um cordeiro.
ACM Neto, um santinho barroco.
A fera hidrófoba era Eduardo Paes.
A tal ponto – conta Ciro Gomes na entrevista que deu a Kennedy Alencar – que Aécio Neves colocou ele e Ciro num avião, levou os dois a Belo Horizonte, para Ciro e Aécio convencerem a fera raivosa a poupar, pelo menos, a familia do Presidente Lula.
Como se trata de um oportunista de quinta, hoje Eduardo Paes diz que vai dar o palanque do Rio a Dilma Rousseff e que é Lula desde criacinha.
E quase perde a eleição, porque ainda à sua direita, mais ainda à sua direita, se situava o Obama (segundo O Globo) do Rio, Fernando Gabeira.
Gabeira chegou a dizer na campanha, ao pé da Mangueira, que ia fazer com as favelas o que dizia o genial Billy Blanco sobre gafieiras: quem está fora não entra, quem está dentro não sai.
Como os brancos da África do Sul, antes de Mandela sair da prisão …
Paes precisa cultivar a extrema direita da Zona Sul do Rio.
A elite branca do Rio que votou em Gabeira.
A questão política do Rio se trava em torno de um eixo:
De um lado, os que, como Brizola, querem urbanizar as favelas.
De outro, os que, como Lacerda, o Corvo, querem destruir a favela (e seus moradores, se possível).
A estratégia do Corvo e seus discípulos funciona assim.
Primeira, tira o pobre daqui.
Leva lá prá longe.
Depois, promete infra-estrutura e serviços públicos.
Depois que o pobre foi para longe, você culpa os governos seguintes, que não levaram escola, esgoto, hospital, trem …
Mas, o principal já aconteceu: o pobre foi para longe.
O Corvo e a Globo hoje tem a mesma doutrina: trancar os pobres num apartheid – se não for possível jogar fogo neles.
Um dia, Roberto Marinho e o Corvo eram adversários.
Não os separava nenhum diferença doutrinária, mas um choque de interesses … imobiliáiros, em torno do Parque Laje.
Coisa de estadistas …
Eduardo Paes, agora, o candidato a Corvo, se curva diante da Família Marinho, que tem a propriedade de comprar imóveis onde, aos poucos, são cercados de pobres.
Um horror !
Eduardo Paes não engana ninguém.
Se aparecer no palanque ao lado da Dilma Rousseff, ela que se cuide.
Pode levar uma punhalada pelas costas.
Se o Globo achar que é boa idéia …

Por: Paulo Hemrique Amorim

Deixe um comentário