Brasil  Mundo  

“Economist” diz que país deve ‘ficar de olho em Lula’

Uma análise da revista Economist publicada nesta quinta-feira, 27, sobre os protestos no Brasil levanta a hipótese do retorno de Lula à presidência do país.

Segundo a revista, se Dilma não encontrar soluções concretas para as reivindicações dos manifestantes nas ruas e não estabilizar o  cenário político e econômico do país, ela criaria uma brecha para Lula, que adoraria retomar as rédeas do país como um “salvador da pátria”. A análise lembra que Lula declarou uma vez que “concorreria à presidência de novo, caso os eleitores quisessem” e aconselha os brasileiros a ficarem de olho no ex-presidente, que se manteve “estranhamente quieto” até agora, preferindo assessorar Dilma nos bastidores do poder.

A Economist também diz que os manifestantes brasileiros não demonstram entusiasmo pelos principais pré-candidatos à presidência nas próximas eleições e que estão mais interessados em duas pessoas que permanecem, pelo menos por enquanto, fora da cena política dominante: Joaquim Barbosa e Marina Silva.

A revista cita o resultado de uma pesquisa feita pelo Datafolha, onde os eleitores indicaram pessoas com quem simpatizam e que gostariam de ver na presidência. Barbosa ficou em primeiro lugar, com 30% das intenções, e Marina em segundo, com 22%.

Contudo, a revista aponta que Barbosa não demonstra nenhuma intenção de concorrer à presidência, enquanto Marina, que conseguiu apenas 19% dos votos nas eleições de 2010, está enfrentando dificuldades para lançar um coerente partido anti-partidos.

 Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário

Um comentário para ““Economist” diz que país deve ‘ficar de olho em Lula’”

  1. ⇒ José Maria C. de Albuquerque disse:

    Ah, isto é um absurdo, mais um larápio a sugar o sangue dos brasileiros. Este tal, foi o maior larápioi da história brasileira. Qual é o motivo de tudo isto, simplesmente fácil de entender, o cara deixou as contas públicas nos braços da coitada Dilma que não manja nada e está tentando tapar o rombo praticado pelo sapo barbudo.