E se seu cão pudesse assistir TV?

Muitas coisas podem prender a atenção de um cão: esquilos, bolas de tênis, cheiros esquisitos, outros cães. Mas um canal de TV? Absolutamente, dizem os fabricantes da DogTV, a primeira rede a cabo a oferecer 24 horas de programação para cães. A ideia, dizem eles, é lançar um canal para, enquanto você sai durante o dia, manter o seu animal de estimação estimulado, entretido e descontraído. Chame isso de “Vila Sésamo” para aqueles que nunca vão aprender o ABC. Os programas da DogTV são na verdade três segmentos de seis minutos de campos de gramados, bolas saltando e seres humanos esfregando a barriga de cães. Há também segmentos que mostram aspiradores silenciosos e suaves campainhas para ajudar a tornar os cães mais acostumados com tais agitações comuns da casa.

Executivos da rede dizem que a programação é cientificamente concebida para atender aos cães: “Nós fizemos três anos de pesquisa sobre como os cães reagem a diferentes estímulos”, disse Bonnie Vieira, porta-voz da DogTV. “Para cães que sofrem de ansiedade com a separação do dono, a DogTV é uma ferramenta que pode ajudar a aliviá-los, talvez por isso eles não se metam em problemas, e os donos fiquem mais felizes e relaxados quando chegam em casa”, disse.

Mas pode realmente o cão ser beneficiados com a televisão? Como a maioria das perguntas sobre a consciência canina, a resposta depende a quem você pergunta. “Eu acho que muito disso é para nos fazer sentir melhor em vez de fazer o animal de estimação mais feliz”, disse Dr. Ann E Hohenhaus, um veterinário da equipe do Centro Médico Animal em Manhattan. “O animal precisa de exercício adequado e de um ambiente interessante. Você não pode simplesmente ligar a TV e esperar que o seu cão fique melhor”. Ainda assim, se o cão está prestando atenção à tela, as probabilidades são de que ele goste do que vê. “Se o cão não estivesse gostando, ele iria encontrar outra coisa para fazer, como morder o sofá”, disse Dr. Hohenhaus. Dessa forma, os programas para os cães podem ser um componente destinado a aliviar a ansiedade da separação.

Em um teste da DogTV na Escondido Humane Society, na Califórnia, os animais alojados em uma “ala de avaliação de comportamento” – essencialmente um ponto de retenção para novos residentes – descobriram que a exposição ao canal, pelo menos temporariamente, ajudou a reduzir os latidos e o comportamento impaciente.

“Se seu cão realmente presta atenção à televisão, pode ter mais a ver com a tela do que com o que está passando nela”, disse Stanley Coren, professor de psicologia da University of British Columbia. Ele deve saber do que fala: em 2007, ele criou uma série de DVDs para cães: “The Dog Companion”. ”Os cães têm uma sensibilidade de movimento fantástico”, disse Dr. Coren, o que significa que a ilusão de ótica que faz com que as imagens em uma TV pareçam fluidas não os engana tão facilmente como acontece com os seres humanos. “Para os cães não parece real. Para aumentar as chances de seu cão prestar atenção, coloque a TV, de alta definição, no nível do olho do animal”, aconselhou Dr. Coren.

“Algumas pessoas me escreveram falando: “este DVD não funcionou, o meu não deu atenção a ele. Mas, assim como as pessoas, alguns cães não gostam de TV”, disse Teoti Anderson, ex-presidente da Association of Pet Dog Trainers. “Dois dos meus cães não prestam atenção à TV, independente do que está acontecendo. Mas caso seu cão demonstre interesse, ele provavelmente pode aprender com o que vê na televisão”, disse.

Expor um animal de estimação a versões suaves de situações irritantes cotidianas, como aspiradores e campainhas, por exemplo, é um método testado que pode reduzir o medo do animal. Mas um aspecto importante da técnica é o volume da transmissão que tem que ser confortável – assim, dependendo de como o cão se comporte, o proprietário pode aumentar o som.

Mas, claro, os donos de cães não devem confundir o tempo de TV, com um tempo de qualidade para o animal, os especialistas advertem: “A TV, definitivamente, não é um substituto para o tempo de brincar com o seu cão. O exercício pode resolver um monte de problemas comportamentais”.

Deixe um comentário