Brasil  

Dono da UTC afirma que depositava propina em contas do PT

.
Do Congresso em Foco

.

vaccari_rooseweltpinheiro_abrO dono da UTC, Ricardo Pessoa, afirmou em depoimento prestado à Justiça Federal de Curitiba que fez depósitos oficiais em contas do PT como forma de pagamento de propina pela obtenção de contratos junto à Petrobras. As declarações ocorreram na quarta-feira (2) no âmbito das investigações da Operação Lava Jato.

Segundo ele, as determinações vinham do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e dos ex-diretores da Petrobras Pedro Barusco e Renato Duque. Este foi o primeiro depoimento público do delator. As propinas eram fruto de acertos entre ele e a diretoria de serviços da estatal, comandada então por Renato Duque.

“Paguei [propina] pro Pedro Barusco. Renato Duque [ex-diretor de Serviços da Petrobras] sempre me encaminhou pro senhor João Vaccari. Eu nunca dei propina na mão do senhor Renato Duque, mas era sempre encaminhado o assunto pro senhor João Vaccari”, afirmou Pessoa. “Depois, o próprio Duque me procurou e começou a dizer que eu tinha que fazer contribuições políticas que essas contribuições teriam que ir através do Vaccari”, complementou em seguida.

De acordo com as investigações da Operação Lava Jato, entre 1% e 3% dos recursos pagos por obras na Petrobras eram desviados para partidos como PT, PMDB e PP. O pagamento de propina era fruto de acertos entre os empresários e os agentes políticos, para o Ministério Público Federal (MPF). Pessoa foi preso em novembro de 2014 durante a Operação Juízo Final, uma das etapas da Operação Lava Jato.

“A referência inicial era para a diretoria de Serviços, 1%. Para a diretoria de Abastecimento [comandada então por Paulo Roberto Costa], 1%. Mas isso era só referência e caberia a negociação depois de cada um. Eu, por exemplo, sempre negociei o máximo que eu pude. Negociei para baixo, evidentemente”, declarou Pessoa.

Em nota oficial, o PT afirmou que todas as doações do partido foram obtidas de forma legal.

Mais sobre o PT

Deixe um comentário