Dono da faculdade se contradiz com documentos

Mozart Pinheiro nega que Romero Jucá ou lobista tenham sido seus sócios. Apesar disso, documentos mostram que Magela Rocha esteve na sociedade da Fares

Por Eduardo Militão – congressoemfoco.com.br

O dono da Faculdade Roraimense de Ensino Superior (Fares) – da qual o líder do governo no Senado, Romero Jucá, foi sócio por meio de um laranja, segundo um lobista – se contradisse ao apontar os proprietários da empresa no início de suas operações.

Em entrevista ao Congresso em Foco, o médico José Mozart Holanda Pinheiro, suplente de deputado federal pelo PT, disse que abriu a faculdade sozinho, sem a participação do lobista Geral Magela Fernandes da Rocha, contrariando os registro do cartório assinados por ele mesmo. Magela Rocha diz que entrou na sociedade como “laranja” de Jucá, mas o médico nega que o senador tenha sido seu sócio, ainda que oculto.

Ao ser questionado sobre a contradição, Mozart diz que na constituição da faculdade, só ele e seu filho fundaram a instituição de ensino superior. “No cartório, sou só eu. Eu e meu filho.” Depois da pergunta, a ligação caiu e o site não conseguiu mais contato com o dono da Faculdade Roraimense.

Na sexta-feira e no sábado passado, o Congresso em Foco deixou recados por telefone e por escrito na Fares e no celular de Mozart. Nenhum foi respondido.

Leia a entrevista com o médico:

(Reprodução/TSE)Congresso em Foco – A Fares, quando foi fundada, foi fundada pelo senhor e pelo Geraldo Magela, né?
Mozart Pinheiro
(foto) – Não. A faculdade foi fundada por mim só.

Foi só pelo senhor?
Foi.

O senhor nunca teve a ajuda dele, do Geraldo Magela Fernandes?
Não.

Foi fundada então pelo senhor e pelo senador Romero Jucá?
Não, senhor. Foi fundada por mim.

Só pelo senhor?
Fundada por mim. Só por mim.

E por que no cartório o Geraldo Magela aparece como sócio no constituição da empresa?
Na constituição, ou seja, no cartório, sou só eu. Eu e meu filho.

Sim, hoje. Mas eu digo na fundação…
[A ligação é interrompida]

O médico Mozart Pinheiro tem 65 e já foi filiado ao PSDB. Em 2002, quando sua faculdade fez o primeiro vestibular, tentou ser deputado estadual pelo mesmo partido do então vice-líder do governo Fernando Henrique Cardoso, Romero Jucá. Não conseguiu. Em 2010, já no PT, partido aliado ao PMDB de Jucá, o dono da Fares conseguiu só 6.500 votos para deputado federal e ficou na suplência.

Além da Faculdade Roraimense, Mozart é dono do posto de gasolina Pinheiro e de um provedor de internet em Boa Vista. Seu patrimônio de R$ 438 mil inclui 468 cabeças de gado, três empresas, veículos, imóveis e propriedades rurais. A faculdade vale R$ 366 mil, segundo registros em cartório.

Deixe um comentário