Dilma Rousseff, um histórico

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

A candidata à presidência do Partido dos Trabalhadores é mineira, com descendência búlgara. Dilma nasceu em 14 de dezembro de 1947, em Uberaba, Minas Gerais, e é filha do engenheiro e poeta Pétar Russév (naturalizado brasileiro como Pedro Rousseff) com a professora brasileira Dilma Jane Silva. Quando criança, ela estudou nos colégios Isabela Hendrix e no Sion, de influência católica. Aos 16 anos, se envolveu na Organização Revolucionária Marxista – Política Operária (Polop), como simpatizante, enquanto estudava no Colégio Estadual Central.

Na faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais, em 1967, Dilma militou no Comando de Libertação Nacional (Colina) — que defendia a luta armada. Durante a ditadura militar, ela usou vários codinomes para despistar a repressão. Em 1969, quando houve um racha naVanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares), Dilma preferiu ficar no grupo. O VAR-Palmares foi responsável pelo roubo de US$ 2,4 milhões para guerrilha, do cofre do ex-governador de São Paulo Adhemar de Barros.

Ela foi presa em 1970, em São Paulo, e na época foi chamada de “papisa da subversão”. Enquanto estava detida foi torturada na Operação Bandeirantes (Oban) e condenada em três estados, mas foi libertada, em 1973, devido à redução de pena pelo Superior Tribunal Militar. Ela passou a morar em Porto Alegre e a cursar Ciências Econômicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde concluiu graduação.

Quanto à qualificação de mestrado e doutorado da candidata, há divergências de informação. Enquanto o site do Ministério da Casa Civil afirma a posse dos créditos por Dilma, alguns sites de notícias divulgam que ela não teria defendido os respectivos trabalhos de conclusão de curso, dissertação e tese. Diante disto, o Opinião e Notícia procurou a assessoria de imprensa da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para checar as informações, porém, não houve retornou de contato, mesmo após duas semanas de insistência.
Dilma se filiou ao Partido Democrático Trabalhista (PDT), em 1979, passando para o Partido dos Trabalhadores em 2001. Sua trajetória política inclui Secretária da Fazenda de Porto Alegre (1986-1988), Presidência da Fundação de Economia e Estatística do Estado do Rio Grande do Sul (1991-1993) e Secretária de Estado de Energia, Minas e Comunicações do Rio Grande do Sul (1993-1994 e 1999-2002).

Ela coordenou, em 2002, a equipe de infraestrutura do governo de transição. No governo de Lula, atuou, inicialmente, no programa de energia, sendo ministra de Minas e Energia, em 2003, depois passou a ocupar o cargo de ministra-chefe da Casa Civil, desde 2005. Ela também atuou como coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O estado de saúde de Dilma foi manchete nos jornais quando ela retirou um câncer do sistema linfático no ano passado.

O nome da candidata esteve envolvido nos últimos anos em algumas denúncias. Como na montagem de um suposto dossiê de gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para conter a oposição que pedia a divulgação das contas de Lula, mediante do escândalo dos cartões corporativos; outro foi a venda da Varig, em que a Casa Civil teria influenciado a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) na negociação; e também em um suposto pedido da ministra à ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira para concluir rapidamente investigação das empresas da família Sarney.

Deixe um comentário