Dilma ‘Impeachment’ Rousseff x Eduardo ‘Cassação’ Cunha: a Batalha.

.
Por Claudio Schamis
.
“Aquele que quer governar sua nação, deve começar a por ordem em sua casa, e, para ter sua casa em ordem, é indispensável ser o senhor de sua alma.” – Confúcio

E dizer que Confúcio, filósofo chinês, viveu entre 551 a.C e 479 a.C e já teve essa percepção é algo assustador.

Difícil arrumar a casa diante da bagunça em que ela se encontra e mais ainda quando a alma de cada um deles, e, principalmente da Dilma não os pertence mais. Tirando-se o fato de que a alma da maioria de nossos políticos também não os pertence mais. Aliás, nunca pertenceram. Parece que ao se candidatar a alma da pessoa deve entrar no “contrato” como cheque-caução, como garantia de troca. Eu te dou isso e você não vende minha alma ao diabo. Negócio fechado.

Só que a questão não fica somente na questão da alma. Na verdade a alma aqui é algo subjetivo, algo metafórico, pois fazer o que eles (nossos políticos) fazem qualquer pessoa, até as menos religiosas vão ter certeza de que são pessoas na verdade desalmadas.

cunhadilma-300x150A questão de arrumar a casa fica complicada quando os dois personagens principais tem o passado nem tão passado assim amarrado em pedaladas fiscais e em contas na Suíça. O que deixa tudo num impasse. Eduardo Cunha, que é presidente da Câmara, pode aceitar ou não o pedido de impeachment, mas por outro lado, em fazendo isso, e dependendo do que ele faça, pode acabar sendo cassado, e com isso perder sua majestade, lembrando que ele disse aos quatro ventos que “renunciar jamais”.

Não acredito que essa batalha tenha algum vencedor tão cedo. Com essa primeira embarreirada do STF, o governo ganhou mais um galão de oxigênio para seguir caminho e ir governando entre as certezas da presidente Dilma na “humanidade humana”, “pastas saindo de dentifrícios”, e na existência da “mulher sapiens”. Sem falar no tal do “golpismo escancarado” que querem dar em seu governo. Mas até quando?

Outra coisa grave que não me entra na cabeça e que nunca vou entender é como podemos ter um julgamento limpo se pessoas que vão julgar estão com o nome sujo na praça? Por exemplo, no TCU, que condenou as “pedaladas fiscais”, quatro dos nove ministros são citados em investigações criminais. Na mesa diretora de onde sai o sucessor de Eduardo Cunha na Câmara, oito dos 11 deputados respondem a processos ou têm condenações na Justiça. Não acaba aí. No Congresso onde se decide o impeachment, só na Lava-Jato quase 40 deputados são investigados, inclusive o próprio presidente, Eduardo Cunha.

Enfim,G. E o que não me deixa mentir é a fala do próprio Eduardo Cunha, ao se reunir com os líderes da oposição: “Estou sendo abandonado por vocês. Começo a ficar convencido de que, se eu entregar a cabeça da Dilma, vocês entregam a minha no dia seguinte”. Ou seja, nem é preciso saber desenhar bem. É simples, para eu fazer o que é certo, eu quero que vocês me garantam aqui onde estou, quero que vocês me blindem.

Como, num quadro desses, podemos ficar tranquilos de que a Liga da Justiça entrará em ação para fazer o que for melhor para o país?

Pelo quadro que estão desenhando, pelos discursos no plenário da Câmara, vamos mais uma vez assistir a uma novela sem final feliz para o Brasil, que é o que mais deveria interessar a eles.

Dilma e a sua moral.

Dilma realmente é algo que não se consegue explicar. E fica cada vez mais difícil de defini-la em palavras. Eu até poderia arriscar, mas o horário não me permite.

Dilma, num discurso inflamado em um evento da CUT e ao lado do ex-presidente Lula, cuspiu: “Quem tem força moral para atacar a minha honra?”.

Presidente, não seria melhor não falar em honra num momento desses? Eu acabei de olhar no dicionário o significado. Vai lá e dá uma olhada, por favor. Depois a gente volta a conversar sobre honra.

Dilma, não há golpismo algum sendo orquestrado. Até porque não somos uma quadrilha. Não somos vocês. Vocês são tão bons que até conseguem maquiar a questão de ser uma quadrilha. Depois me ensina como faz?

Dilma-e-lula-300x169O que há são apenas fatos que nos levam a ver fatos que não são permitidos dentro de uma eleição. Se você,  Dilma, não viu que estavam pedalando por aí, é hora de encarar os fatos. Fatos são fatos. Não é algo que eu acho que vi. O pessoal do TCU viu. Todos estão vendo. Vendo o que você fez no verão passado, na eleição passada, no seu mandato passado. E a coisa é feia.

Eu concordo que V.Exª se elegeu pelo voto popular. Eu não posso questionar isso. Se bem que as urnas eletrônicas, essas coisas que vemos por aí, essa tecnologia que não para de nos surpreender, esses hackers fazendo cada vez mais coisas surreais, enfim, acho que chegou a hora, aquele momento, em que você pode mostrar que tem algum resquício de honra, se é que algum dia você teve e aceitar os fatos e esperar para ver o que vai acontecer. Seja “homem” pelo menos uma vez na vida, assuma de verdade que errou, peça desculpas, não fale que Deus está vendo. Não fale que é Ele quem vai te julgar agora. O seu tá guardado. O que vale hoje é a Justiça dos homens.

E temos que acreditar que esses homens serão homens o suficiente para bater o martelo e dizer igual ao Justus: “Dilma, você está demitida”.

Salve as baleias. Não jogue lixo no chão. Não fume em ambientes fechados.

Deixe um comentário