Dilma e Lula exaltam programas sociais e criticam gestões do PSDB

Presidente e candidata petista fizeram comício em Osasco (SP) nesta sexta. Dilma disse que ‘partido do vice’ de Serra ‘quer acabar com o ProUni’.

A exaltação de programas sociais federais e críticas às gestões do PSDB em São Paulo deram o tom nesta sexta-feira (20), em Osasco (Grande São Paulo), do primeiro comício da campanha à Presidência de Dilma Rousseff (PT) no estado com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Do prefeito petista Emidio de Souza a Lula, a maior parte dos discursos do comício exaltou programas como o Bolsa Família e o ProUni, acenando com a possibilidade do fim dos benefícios em caso de vitória da oposição.

“Sabem vocês quem quer acabar com o ProUni? O partido do vice do meu adversário”, afirmou Dilma, repetindo tema de pergunta feita ao candidato José Serra (PSDB) durante o último debate entre os candidatos.

A candidata também usou o Bolsa Família como meio de criticar a oposição. “Esse Bolsa Família, que eles diziam que era uma bolsa esmola e que só geraria gente preguiçosa”, afirmou.

“E agora falam que vão dobrar o Bolsa Família. O povo não é bobo”, afirmou Dilma.

Após começar o discurso com referências à mulher, Dilma terminou sua fala de 19 minutos prometendo ser “uma mãe à altura de cuidar do nosso povo”.

“Só uma coisa pode nos consolar [do fim do governo]: é a continuidade do governo dele”, afirmou a petista.

Lula critica oposição

O encerramento do comício, repetindo o script da campanha, coube a Lula, que começou ecoando a crítica ao valor dos pedágios em São Paulo, principal aposta da campanha do candidato do PT ao governo, Aloizio Mercadante.

Lendo números em um papel, Lula comparou preços de pedágios da federal Fernão Dias (R$ 7), privatizada em sua gestão, e da via Anhanguera (R$ 43), estadual. “Isso não é pedágio, é um roubo. É roubo ao povo brasileiro.”

Lula também citou o Bolsa Família ao defender voto em Aloizio Mercadante, candidato do PT ao governo do estado de São Paulo. “Quem é que cuida do povo daqui, com mais de 1 milhão de pessoas recebendo Bolsa Família?”, questionou.

O presidente ainda fez crítica direta a Serra ao dizer que “ministro meu, para marcar audiência com o governador, que agora é adversário da Dilma, levava seis meses”. “Eles se acham muito arrogantes”, completou.

Durante o discurso, Lula ainda lançou um “desafio público à oposição”:

“Faço um desafio público. Duvido que seu adversário [Serra] tenha recebido do presidente do partido dele [PSDB] quando era presidente da República, 50% do dinheiro que passei para os governadores deles”, disse Lula.

O presidente ainda dedicou a parte final de seu discurso de 32 minutos para defender sua gestão, citando pontos como o pagamento da dívida com o Fundo Monetário Internacional, o programa Luz para Todos e o aumento real do salário mínimo.

Lula ainda afirmou ainda que irá passar para a história como o “presidente da República mais respeitado no exterior que o Brasil já teve”.

Otimismo

Políticos que estiveram presentes no evento também demonstraram otimismo em relação a uma possível vitória de Dilma, ainda no primeiro turno das eleições.

“Está muito perto de a Dilma ganhar no primeiro turno. Vamos acabar com essa conversa”, afirmou o prefeito de Osasco Emídio de Souza (PT).

Candidata ao senado, Marta Suplicy (PT) disse que faltam “menos de 50 dias para levar a Dilma no primeiro turno”.

” A Dilma está propondo, nos oito anos que a gente já sabe que ela vai estar lá, que a gente consiga eliminar a pobreza”, disse a ex-ministra, já prevendo uma possível reeleição de Dilma nas eleições de 2014.

Além de Michel Temer (PMDB), candidato a vice de Dilma, também participaram do comício desta sexta-feira lideranças do PT nacional, senadores, deputados e os ministros da Comunicação Social, Franklin Martins, e das Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

Thiago Guimarães

Deixe um comentário