Dilma deveria ser ‘mais radical em faxina política’, diz ‘Economist’

A presidente Dilma Rousseff teria capital político para ser “mais radical em sua faxina política”, opinou a revista Economist em reportagem publicada nesta quinta-feira, que começa descrevendo o “conhecido roteiro” de queda de ministros no governo brasileiro: alegações de corrupção, negações, novas provas, demissão.

Deixe um comentário