Brasil  

Desfile de PMs fardados em Parada Gay vira alvo de críticas

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

Regulamento da PM não permite usar fardas em eventos que não sejam da corporação.
 
Gerou polêmica a declaração do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, de que policiais e bombeiros serão liberados para participar, com fardas e viaturas, da próxima Parada Gay da capital fluminense.

O anúncio, feito durante o lançamento da campanha do programa “Rio sem Homofobia”, nesta segunda-feira, 16, foi ironizado pelo deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que sugeriu a Cabral criar um batalhão de homossexuais no Corpo de Bombeiros do Rio.

O presidente da OAB do Rio, Wadih Damous, também criticou a postura de Sérgio Cabral, afirmando por meio de um comunicado que os “militares têm direito a participar de qualquer movimento gay como cidadãos, mas fora do horário do expediente de trabalho e sem usar farda e nem carros oficiais porque seria um absurdo”.

Cabral: ‘se não permitem, então não vão’
O comandante-geral da Polícia Militar do Estado do Rio, Mário Sérgio Duarte, disse que o regulamento da PM não permite usar fardas em eventos que não sejam da corporação, e ressaltou que, para ele, a declaração de Sérgio Cabral foi apenas uma forma de apoio à tolerância.

Diante da polêmica criada, o governador do Rio disse nesta terça-feira, 17, que “se não permitem, então não vão”, afirmando ainda que não se tratava de uma “decisão”. Cabral ressaltou que queria apenas destacar o que é feito nos “países civilizados”. Nesta terça foi comemorado o Dia Mundial de Combate à Homofobia.

Deixe um comentário