Desembargador afastado por desviar recursos para maçonaria recorrerá de aposentadoria compulsória

O presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, desembargador Mariano Alonso Ribeiro Travassos, informou que pretende recorrer da decisão do Conselho Nacional de Justiça  que determinou sua aposentadoria compulsória por desvio de recursos em benefício de uma loja maçônica, em Cuiabá.

Deixe um comentário