Deputado vaza reunião de líderes no Twitter e recebe bronca de Temer

Iolando Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Uma reunião de líderes partidários com o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), para tratar da pauta de votações foi parar na internet e deixou muita gente irritada. Tudo porque o deputado Capitão Assumção (PSB-ES) postou mais de 40 mensagens no Twitter, um sítio de relacionamentos, revelando o que cada líder partidário falou a respeito da Proposta de Emenda à Constituição que cria o piso salarial para policiais civis e militares.

Por causa da indiscrição, Capitão Assumção foi advertido por Temer. “Quando fazemos reuniões de líderes, elas são sempre abertas, mas não é possível transmitir ou gravar. Isso não é útil para a harmonia da Casa. Por isso, em dois momentos fui obrigado a registrar que esse fato não poderia se dar”, disse o presidente da Câmara.

Temer explicou que estava negociando a formação de uma comissão para deliberar sobre a PEC dos policiais e que não poderia haver uma “espécie de tentativa de insuflar mentalidades externas àquela discussão”. Mesmo com o episódio, Temer e os líderes decidiram formar a comissão para promover estudos e discussões a respeito da PEC e apresentar uma alternativa para sua votação.

Ao falar à imprensa, Temer reclamou da pressão que tem sido feita nos deputados para votar determinadas matérias. “A pressão há de ser argumentativa, não uma pressão física e, lamentavelmente nos últimos tempos, tem havido uma espécie de pressão física aqui na Casa. E isso a presidência, os líderes e os deputados não vão tolerar”, advertiu.

Ao ser perguntado se a partir de agora será proibido participar de reuniões com telefones celulares, Temer afirmou: “Pode levar o celular, mas deve ter a delicadeza de não gravar as reuniões, porque isso é coisa de araponga”, afirmou.

O líder do PSDB, deputado João Almeida (BA), deixou a reunião reclamando do colega Capitão Assumção, que gravou as falas dos líderes e transmitiu para policiais que seguem o microblog do parlamentar capixaba. “Se alguém está participando de uma reunião, ele não pode distorcer ou antecipar informações sobre o que está acontecendo na reunião”.

O líder do DEM, deputado Paulo Bornhausen (SC), também criticou a atitude de Assumção que, segundo ele, distorcia as informações da reunião. De acordo com Bornhausen, o incidente causou mal estar entre os líderes, que demonstraram a intenção de diminuir o ritmo ou até parar as votações das PEC.

Edição: Vinicius Doria

Deixe um comentário