Defesa de Dilma deve usar Bolsa Família contra o impeachment

.
bolsafamilia-e1459777050607Nesta segunda-feira, 04, será apresentada a defesa formal da presidente Dilma Rousseff na comissão especial da Câmara que analisa o processo de impeachment. A reunião está prevista para começar às 14h e a defesa da presidente será apresentada às 16h30. José Eduardo Cardozo, o advogado geral da União, deve falar por duas horas. A estratégia de defesa vai seguir a linha de que a presidente não cometeu crime de responsabilidade e tomou uma decisão que ajudou a preservar importantes programas sociais, como o Bolsa Família, por meio do que os acusadores chamam de “pedalada fiscal”.

Leia mais: ‘Impeachment sem crime é golpe’, diz Dilma

As negociações da reforma ministerial também serão intensificadas hoje, com encontros com dirigentes do PP e do PR. A presidente pediu a vários ministros, inclusive os do PMDB, que tenham confiança na condução da reforma que ela está promovendo.

O Planalto deve manter três ministros do PMDB: o ministro da Secretaria de Portos, Helder Barbalho, o de Ciência e Tecnologia, Celso Pansera e o da Saúde, Marcelo Castro. O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB), que é amigo de Dilma, já disse à presidente que pode dispor de seu cargo. Braga poderá voltar ao Senado, reassumindo o mandato de comum acordo, e cuidar de seus planos para concorrer ao governo do Amazonas. Além disso, petistas também querem que a presidente desaloje a ministra da Agricultura Katia Abreu, porque a pasta é sempre cobiçada, e a ministra não tem votos. O PMDB já não contabiliza Kátia Abreu como ministra do partido, e ela já busca nova filiação.
No último domingo, a presidente publicou uma mensagem no seu Facebook pessoal repetindo a entrevista na qual afirmou que não vai renunciar ao cargo.

 

Fonte: Opinião&Notícia

Deixe um comentário