Saúde  

De 3% a 7% da população do mundo tem claustrofobia

.
claustofobiaA claustrofobia, o medo irracional e mórbido de permanecer em lugares fechados, pode ser um transtorno psíquico penoso. Andar de metrô é uma tarefa que exige um enorme esforço; trancar a porta em um cubículo é uma agonia; um exame de ressonância magnética é impensável. De suor frio, tremores à sensação de asfixia, os que sofrem de claustrofobia sentem uma série de sintomas que podem aumentar de intensidade, até se transformar em um ataque de pânico.

Diversos estudos avaliam que a fobia afeta entre 3% a 7% da população do mundo. Segundo os dados do National Health Service, no Reino Unido 10% da população sofre de claustrofobia. Mas embora os sinais do distúrbio sejam fáceis de detectar, suas causas são bastante complexas. Então, por que algumas pessoas são afetadas por esse distúrbio psicossomático?

Uma das ideias equivocadas a respeito da claustrofobia refere-se à noção de que o medo mórbido limita-se ao confinamento físico. Apesar de os claustrofóbicos evitarem espaços fechados, um show de rock ao ar livre com uma multidão de espectadores ou um engarrafamento de trânsito pode desencadear sintomas desagradáveis de ansiedade. Isso ocorre porque as pessoas que são mais sensíveis ao ambiente em que vivem, sentem-se confinados mesmo na ausência de barreiras físicas.

Alguns estudos científicos atribuem esse distúrbio a fatores biológicos. Em um artigo publicado na revista Psychiatry and Clinical Neuroscience em 2009, Fumi Hayano mencionou uma ligação entre a síndrome de pânico e a anomalia de amígdalas menores do que o normal, a parte do cérebro que processa as reações emocionais. Outras teorias atribuem a claustrofobia a problemas genéticos. Por sua vez, os psicólogos têm uma teoria diferente.

De acordo com a Anxiety UK, uma organização beneficente do Reino Unido que ajuda pessoas que sofrem de ansiedade, a razão mais comum do medo de espaços fechados é a vivência de um acontecimento traumático, como ficar preso em um elevador ou em outro lugar pequeno. Crianças com pais claustrofóbicos às vezes herdam a fobia sem terem sido expostas a um trauma. Mas uma imaginação fantasiosa também pode provocar esse medo mórbido. A tendência em pensar com insistência em determinados fatos pode sugestionar as pessoas a se sentirem ameaçadas. Em alguns casos, o medo pode ser uma forma de exteriorizar uma emoção ou sentimentos reprimidos projetando-os em seu ambiente imediato.

Deixe um comentário