Brasil  

Custo da Copa do Mundo passa de R$ 28 bilhões

O custo oficial da Copa do Mundo de 2014 já ultrassou os R$ 28,1 bilhões. De acordo com o Ministério do Esporte, a maior parte do dinheiro usado nas obras de estádios, mobilidade urbana, aeroportos e segurança, por exemplo, vieram do poder público. O governo federal, sozinho, é responsável por R$ 6,5 bilhões do total.

 

De acordo com os números oficiais apresentados pela pasta nesta segunda-feira (24), 75% dos investimentos nos projetos que integram a Matriz de Responsabilidades para a Copa se destinam a infraestrutura e serviços para o país. Só na área de mobilidade urbana o investimento é de R$ 8,9 bilhões. Deste valor, R$ 4,9 bilhões vieram de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Outros 62% dos investimentos estão concentrados em projetos de mobilidade urbana e de modernização dos aeroportos. Os terminais custarão 8,4 bilhões. Destes, R$ 3,3 bilhões de investimento federal. O setor é o único onde a participação do setor privado é maior que o público. Na conta, entram os valores que as concessionárias pretendem gastar na reforma dos terminais.

Os estádios de futebol, razão de parte dos protestos realizados pelo país até agora, custam R$ 7,6 bilhões. Segundo o Ministério do Esporte, o valor é dividido entre estados (R$ 3,2 bilhões), financiamento federal (R$ 3,8 bilhões) e empresas privadas (R$ 500 milhões).

A pasta ainda computa os investimentos em portos (R$ 700 milhões), telefonia (R$ 400 milhões), segurança (R$ 1,9 bilhão) e turismo (R$ 200 milhões). Todo esse valor, que chega aos R$ 3,2 bilhões, será bancado pelo governo federal. De acordo com a pasta, a Copa do Mundo vai gerar 3,6 milhões de empregos. E cada real aplicado pelo setor público, haverá o retorno de 3,4.

Por Mario Coelho – congressoemoco.com.br

Deixe um comentário