Brasil  

Costa e Youssef acusam tesoureiro do PT de comandar esquema de desvio de verba

.
ko.jpegEm depoimento prestado à Justiça Federal do Paraná na última quarta-feira, 8, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, acusaram o tesoureiro do PT, João Vaccari, de comandar o esquema de desvio de verba da Petrobras. As informações foram divulgadas após a Polícia Federal liberar os áudios dos depoimentos.

Leia mais: Dinheiro desviado da Petrobras foi para campanha de 2010

Alvo da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, o esquema consistia em cobrar propinas de empreiteiras, escolhidas em um cartel de dez empresas. Para pagar a propina, as empreiteiras superfaturavam obras da Petrobras em torno de 20%, verba que depois era dividida entre parlamentares e diretores da estatal.

Paulo Roberto Costa disse que 3% da propina era destinada ao PT. O encarregado de distribuir a verba desviada era o deputado José Janene. Após a morte de Janene, em 2010, Youssef assumiu a função. Segundo o ex-diretor, Vaccari comandava o esquema. Youssef disse que o pagamento seguia um cronograma.

Ainda em seu depoimento, Youssef disse que a nomeação de Paulo Roberto Costa para o cargo de Diretor de Abastecimento da estatal foi feita após Lula ceder à pressão de “agentes políticos” ligados ao esquema de corrupção da Petrobras.

Segundo o doleiro, além do PT, faziam parte do esquema o PMDB e o PP, ambos partidos da base aliada. “Para que Paulo Roberto Costa assumisse a cadeira, esses agentes políticos trancaram a pauta no Congresso durante 90 dias. Lula ficou louco, teve de ceder”, disse o doleiro.

Deixe um comentário