Mundo  

Chicago: a nova Las Vegas do meio-oeste?

Fonte: opiniaoenoticia.com.br

 
Nos anos 1920, Al Capone controlava os pontos de jogo ilegal de Chicago, e nas décadas seguintes, a cidade se afastou por completo da jogatina. Mas o novo prefeito, Rahm Emanuel, está determinado a abrir um cassino público para ajudar a preencher os cofres da cidade. Desta forma, com forte apoio da prefeitura, o poder legislativo de Illinois aprovou uma lei expandindo o jogo no estado, no dia 31 de maio. Para que a medida entre em vigor, é necessária a assinatura do governador – mas Pat Quinn está obstruindo o progresso das negociações.

A lei prevê a construção de quatro novos cassinos, em Chicago e no sul do estado, e permitiram negócios de jogos online, com apostas sendo liberadas em bares, restaurantes e postos de gasolina. Pistas de corridas de cavalos e aeroportos também poderão ter caça-níqueis. Quinn considera a lei “excessiva”, logo, alguns pontos podem ser deixados de lado. Mas as finanças do estado estão no vermelho, com um déficit esperado de US$ 11 bilhões. A maior probabilidade é a de que ele distorça a lei, com um “veto corretivo”, retirando os elementos que considera inadequados.

Novas fontes de receita são bastante necessárias em Chicago. Emanuel herdou uma insuficiência de US$ 587 milhões no orçamento de 2012. A Câmara de Comércio da cidade afirma que um grande cassino em Chicago traria US$ 650 milhões anuais em receitas para a cidade, além de 2500 empregos permanentes nos cassinos e 1500 empregos temporários no ramo da construção.

A Câmara, juntamente com o Conselho de Turismo, quer instalar o cassino no centro da cidade. Embora o local ainda não tenha sido escolhido, o velho Congress Hotel no Millenium Park e o Block 37, um prédio nas imediações da Daley Plaza, são apontados como possíveis pontos locais de construção.

O controle dificilmente ficará nas mãos da prefeitura, que deve deixar as operações nas mãos de gente mais experiente. O custo regulatório e o potencial para a corrupção preocupam o reverendo Phil Blackwell, da Força-Tarefa de Oposição ao Jogo em Illinois. “A cidade deve nos servir e proteger, e não dar as cartas em uma mesa de jogo”, diz ele. William Thompson, da Universidade de Nevada em Las Vegas, diz que o jogo ajudará a cidade em geral, mas necessariamente sua economia. “O cassino pode simplesmente desviar os gastos realizados pelos consumidores nas atrações locais”.

As receitas nos nove cassinos que já existem na região sul do estado tiveram uma baixa de 32% nos últimos três anos, de acordo com a Associação de Jogos de Azar de Illinois. Os novos cassinos podem agravar o que a associação já considera uma indústria saturada. Por mais que Emanuel acredite que vá tirar a sorte grande, jogos de azar nunca foram uma aposta confiável.

Deixe um comentário