Sem categoria

PF prende ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves

terça-feira, 6 de junho de 2017

.
Da Agência Brasil
.
A Polícia Federal (PF) prendeu na manhã de hoje (6), em Natal, durante a Operação Manus, o ex-ministro do Turismo Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), suspeito de corrupção e lavagem dinheiro por participar de desvios nas obras de construção da Arena das Dunas, sede da Copa do Mundo de 2014 na capital potiguar. As fraudes somariam R$ 77 milhões.

Outras quatro pessoas tiveram mandados de prisão preventiva expedidos, incluindo o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que já está preso no Complexo Médico de Pinhais, em Curitiba, no âmbito da Operação Lava Jato.

O ex-ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, é alvo de dois mandados de prisãoFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Alves é alvo também de um outro pedido de prisão, feito pelo Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF), por suspeita de ocultar outros R$ 20 milhões em contas no exterior. Os recursos seriam provenientes da atuação de um grupo liderado por Eduardo Cunha, responsável por irregularidades nas vice-presidências de Fundos e Loterias e de Pessoas Jurídicas da Caixa Econômica Federal.

Os casos são consequência da análise de provas colhidas em várias etapas da Operação Lava Jato, principalmente as decorrentes das quebras dos sigilos bancários e fiscais do envolvidos e dos depoimentos de delatores da empreiteira Odebrecht, homologados em janeiro pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“Foram identificados diversos valores recebidos como doação eleitoral oficial, entre os anos de 2012 e 2014, que, na verdade, consistiram em pagamento de propina. Identificou-se também que os valores supostamente doados para a campanha eleitoral em 2014 de um dos investigados foram desviados em benefício pessoal”, informou a PF.

“No caso de Henrique Eduardo Alves, por exemplo, há relatos da existência de movimentação financeira externa entre os anos de 2011 e 2015, período em que teriam ocorrido os desvios de recursos do FI-FGTS por parte da organização criminosa”, diz uma outra nota, divulgada pela Procuradoria da República do Distrito Federal, que trabalhou em parceria com a Procuradoria da República do Rio Grande do Norte.

Em junho do ano passado, Henrique Eduardo Alves se tornou o terceiro ministro em pouco mais de mês do governo Michel Temer a entregar o cargo após denúncias relacionadas à Lava Jato.  À época, ele havia sido citado na delação premiada de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpreto, uma das subsidiárias da Petrobras.

O nome da Operação Manus faz referência ao provérbio latino Manus Manum Fricat, Et Manus Manus Lavat, que significa “uma mão esfrega a outra; uma mão lava a outra”.

Governo vai doar pílula de prevenção ao HIV a grupos vulneráveis

quinta-feira, 25 de maio de 2017

.
Na manhã desta quarta-feira, 24, o Ministério da Saúde anunciou que vai adotar o medicamento profilaxia pré-exposição (PrEP) contra o vírus HIV para pessoas de grupos vulneráveis.

O objetivo é proteger grupos que estão mais expostos ao risco de infecção, como profissionais do sexo, casais sorodiscordantes (quando um tem o vírus e o outro, não), pessoas trans e homens homossexuais sexualmente ativos. A estratégia envolve o uso diário do Truvada, uma combinação dos antirretrovirais tenofovir e emtricitabina, por pessoas não portadoras do vírus.

Leia mais: “Anvisa libera autoteste para HIV

Segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, a pasta já investiu na compra de 2,5 milhões de comprimidos de Truvada, o que deve ser suficiente para atender à demanda por um ano. A distribuição do medicamento deve começar seis meses após a publicação do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, prevista para segunda-feira, 29. Desde 2014, a profilaxia pré-exposição é recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para pessoas em risco e sua eficácia foi comprovada por estudos clínicos.

Especialistas alertam que quem optar por adotar o uso do medicamento deve combinar a estratégia a outros tipos de prevenção, como continuar usando métodos preventivos, a fazer testes de HIV periodicamente e a tratar outras DSTs, que podem fragilizar ainda mais a condição de saúde do paciente.

Fonte: Opinião&Notícia

Bancos brasileiros desfrutam da crise de forma notável

domingo, 10 de abril de 2016

bb-bradesco-e-itau-tem-maiores-rentabilidades-da-america-lat_d474c455efaa0868b77e43a546b41898A escolha de Usain Bolt para ilustrar anúncios do banco Original não poderia ser mais acertada. Assim como o velocista jamaicano, os lucros do banco, que tem apenas cinco anos, apresentaram um desempenho meteórico. Somente no ano passado, o Original teve um aumento de lucro de 50%, ficando em R$ 111 milhões.

Oposição aposta no julgamento do TSE para cassar mandato de Dilma e Temer

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

índiceApós o julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) na última semana, que rejeitou o rito de impeachment imposto pelo presidente da Câmara, agora a oposição aposta suas fichas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

 

.
Por 11 a 9, os deputados do do Conselho de Ética decidiram não aceitar o pedido de vista e dar sequencia à votação do parecer que vai definir o destino do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O presidente do Conselho, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), submeteu a voto a possibilidade de pedido de vista apresentado pelo deputado Genecias Noronha (SD-CE) que poderia adiar, pela oitava vez, a votação do relatório favorável ao prosseguimento da representação, contra Cunha, por quebra de decoro.

Araújo havia se manifestado contrário ao pedido do Solidariedade e gerou divergências. Diante das manifestações de aliados de Cunha, Araújo pediu para que o colegiado decidisse, e votou como integrante do Conselho, passando a presidência para o deputado Sandro Alex (PPS-PR).

Baseando-se em uma questão de ordem respondida por Cunha em março deste ano, sobre possibilidades de pedido de vista, Araújo alegou que não se trata de um novo parecer, mas de um complemento de voto ao relatório que já tinha sido lido e anunciou que daria início à votação. Parlamentares próximos de Cunha se revezaram em manifestações contrárias à decisão.

Aliado de Cunha, o deputado Manoel Júnior (PMDB-PB) alertou que a sessão poderia ser anulada por um erro regimental de Araújo. “A questão de ordem versa sobre projeto de lei em tramitação na Casa. Quando o processo aqui foi anulado, vossa excelência procedeu novo sorteio [para escolha do novo relator], escolheu novo relator, e se copiou ou não copiou o relatório nulo, apelo para que não proceda a novo erro regimental”, alertou.

O novo relator do processo, Marcos Rogério (PDT-RO), defendeu que se trata do mesmo processo e que, por isso, não justifica retomar todo o trâmite desde o início. “A nulidade não impede a ratificação de atos. Estamos em fase preliminar. Estamos em juízo de admissibilidade. Não houve novo parecer. Os termos não alteram a decisão final deste relator. Não há mudança profunda capaz de causar insegurança jurídica”, defendeu.

Defesa

O Conselho de Ética está reunido desde as 9h35. Marcos Rogério já apresentou seu parecer ratificando a defesa para que o inquérito contra Cunha tenha sequência. O advogado do peemedebista, Marcelo Nobre, que já tinha declarado “preocupação” com possíveis impactos da Operação Catilinárias, deflagrada hoje (15) pela Polícia Federal, na decisão do Conselho, abriu seus argumentos com um “esclarecimento”.

“Isso [A busca e apreensão] só reforça nossa defesa. A defesa tem dito que não tem prova e o que decorre da busca e apreensão na casa do meu cliente? A busca de provas. A segunda [afirmação da defesa de Cunha] é que o conselho não tem o poder investigativo que este poder é do Supremo Tribunal Federal. Portanto, esses acontecimentos na casa do meu cliente só reforçam a defesa neste Conselho de Ética. Aqui estamos a tratar de quebra de decoro ou não”, afirmou.

Toffoli: se Dilma for cassada, Temer vai junto

terça-feira, 10 de novembro de 2015

images_cms-image-000465848O julgamento do Tribunal Superior Eleitoral do pedido do PSDB de impugnação da candidatura de Dilma Rousseff para presidência deve ser finalizado entre seis e dez meses. Caso seja cassada, o vice Michel Temer vai junto — não existe possibilidade de separação nesse caso, algo que teria sido aventado por membros do PMDB.

Cunha fecha acordo com PSDB por impeachment

terça-feira, 4 de agosto de 2015

images_cms-image-000449265Durante um encontro entre o presidente da Câmara, Eduardo Cunha e seus aliados do PSDB, DEM e Solidariedade foi discutida a possibilidade de se realizar uma manobra  para pautar um pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Manchetes dos principais jornais do dia 24 de agosto

domingo, 24 de agosto de 2014

jornais_jpeg“Oposição quer marcar logo novo depoimento do ex-diretor da Petrobras”  e “Vice de Marina: propriedade de aeronave ‘não é problema nosso’”, são algumas das manchetes  dos Jornais O Estado de São Paulo, O Globo, Valor Econômico  e Correio Braziliense.