Carta Capital: Demóstenes embolsava 30% do jogo clandestino

A revista Carta Capital informa que relatórios da Polícia Federal em Goiânia revelam que o senador “tinha direito a 30% da arrecadação geral do esquema de jogo clandestino” operado por Cachoeira. Segundo a publicação, tal movimentação financeira totalizou cerca de R$ 170 milhões nos últimos seis anos.

Deixe um comentário

Um comentário para “Carta Capital: Demóstenes embolsava 30% do jogo clandestino”

  1. ? Neilton Cruvinel Filho disse:

    NOTA DE ESCLARECIMENTO

    Manifesto minha indignação em relação as mentiras divulgadas na matéria da Revista Carta Capital.
    Nunca fui preso nem tive cassino, muito menos “estourado” em operação policial. E não fiz nenhuma declaração acusando o Senador Demostenes Torres de qualquer ligação e muito menos participação em atividade ilícita com quem quer que seja. Não conheço o Senador Demostenes Torres e nunca estive pessoalmente com ele.
    Desafio quem quer que seja a apresentar algum documento comprovando que fui preso ou prestei declarações acusando o Senador Demostenes Torres de participação em atividade ilícita exercida pelo sr. Carlos Augusto Ramos, mais conhecido como Carlinhos Cachoeira, ou por quem que seja.
    Goiânia, 24 de março de 2012.

    RUY CRUVINEL NETO
    ADVOGADO