Câmara dribla destaques que anulavam ficha limpa

Por Rodolfo Torres, Mário Coelho e Eduardo Militão
congressoemfoco.com.br

As duas propostas, que desfigurariam complemente o projeto, foram rejeitadas. Restante da votação ficou para a próxima terça-feira.

Duas votações com mais de 300 votos cada garantiram a manutenção da essência do projeto ficha limpa aprovado na Câmara. Na noite desta quarta-feira (5), os deputados derrubaram dois destaques que tiravam partes importantes do texto acordado entre os parlamentares ontem.

Primeiro, os deputados derrubaram a possibilidade de retirar o período em que um político se tornaria inelegível por compra de votos ou abuso de poder. A retirada do texto o tornaria inconstitucional e, na prática, acabaria com as punições para esses crimes.

Depois, os parlamentares rejeitaram a retirada da principal característica do projeto, tornar  inelegível um candidato condenado por órgão colegiado judicial. Atualmente, isso só é possivel quando ele é condenado em última instância na Justiça – o que pode levar mais de quatro anos, o período de um mandato.

A votação dos outros destaques continuará na semana que vem. Após serem analisados, a matéria vai ao Senado.

Deixe um comentário