Brasil  

Câmara aprova regime de urgência para votar fim do fator previdenciário

Proposta pode ser votada direto no plenário, sem passar por comissões. Marco Maia destacou, contudo, que não há previsão para a votação.

Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (25) regime de urgência para a votação do projeto que extingue o fator previdenciário. Com isso, a proposta poderá ir direto para votação no plenário, sem precisar passar por comissões.

O presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), destacou, contudo, que não há previsão para a entrada da matéria em pauta.

O fator previdenciário é uma fórmula criada em 1999, que leva em consideração a idade, o tempo de contribuição e a expectativa de vida do brasileiro para o cálculo do valor da aposentadoria. O instrumento visa reduzir o valor do benefício de quem se aposenta por tempo de contribuição antes de atingir 65 anos, no caso de homens, ou 60, no caso das mulheres.

O tempo mínimo de contribuição para aposentadoria é de 35 anos para homens e 30 para mulheres. O acordo para votar o regime de urgência se deu após a conclusão de uma versão do projeto pela Câmara de Negociação sobre Desenvolvimento Econômico e Social, criada para analisar propostas econômicas e trabalhistas.

O texto desse grupo de trabalho prevê que, para obter aposentadoria com 100% do valor do benefício, a soma do tempo de contribuição e da idade do trabalhador deve totalizar o número 85 para mulheres e 95 para os homens.

Segundo Marco Maia, o objetivo de aprovar a urgência é abrir o debate sobre alternativas ao fator previdenciário. “O que queremos é estimular que todos esses setores, governo, centrais e Parlamento, comecem um processo de negociação que possa levar a um acordo de substituição do fator previdenciário no Brasil”, disse.

O fim do fator previdenciário já foi aprovado pelo Congresso, mas o projeto foi vetado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “A intenção de todos ágora é construir, nas bases do que foi discutido no passado, um acordo que possa permitir a aprovação e a efetivação do projeto”, afirmou o presidente da Câmara.

Fonte: votebrasil.com

Deixe um comentário

7 comentários para “Câmara aprova regime de urgência para votar fim do fator previdenciário”

  1. ? Veruska disse:

    Pelo jeito a votação para o fim ou substituto do fator previdenciario está indo pela “CACHOEIRA” abaixo; pois não se fala em outra coisa. Daqui a pouco vem o período eleitoral, ai vão empurrar pra depois, e vai acabar sobrando para o ano que vem, escutem só! Uma coisa é inaceitável, pelo que sei , se não estiver enganada, se a pessoa tiver contribuido 15 anos e tiver 60 anos, ela aposenta com o minino de um salário minimo, agora, a gente que já tem 30, 31,32,… anos de contribuição e com 52 anos de idade, está sujeita a essa regra do fator previdenciario, e caindo na tabela, acaba recebendo um salário minimo, mais ou menos. Pode isso? É brincadeira, né! Quando é para votar no salário (que já é exorbitante) dos parlamentares (e muitos não fazem nada), da noite para o dia, eles votam a porcentagem; agora quando é para o povo (um dinheiro que era nosso, tirado mês a mês), o dia que resolver é esse mesmo, vão cozinhando a gente em banho-maria.

  2. ? Moyses Filgueiras disse:

    ENTÃO GOVERNO, VAMOS TER Ó NOSSO DIREITO PRESERVADO COMO APOSENTEDO OU VAMOS PARA AS RUAS PEDIR ESMOLAS PARA COMPLETAR AS NOSSAS DESPESAS COM SOMENTE AS CONTAS PUBLICAS AGUA LUZ E TELEFONE -REMEDIOS Ô QUE ACHÃO?

  3. ? Moyses Filgueiras disse:

    NÃO PAGUEI INSS 36 ANOS ATÔA, TEVE QUE ME APOSENTAR COM 62,5 DE IDADE,PORTANTO COMPLETEI 98,5 NO TOTAL DA SOMA AO SER VOTADO O REGIME 85-95 COMO QUEM JÁ SE APOSENTOU VAI FICAR NESTA HORA,TEMOS Ó MESMO DIREITO OU NÃO?

  4. ? Maria disse:

    É uma pena que essa novela não acaba nunca faz quatro anos que se discute o fim desse fator e não se chega a uma conclusão . Nesse pais tem dinheiro para tudo menos para se fazer justiça com o aposentado . Quem se aposenta por tempo de serviço acaba morrendo de desgosto antes da hora .

  5. ? Elizabeth Maria de Melo disse:

    Eu sou pobre mas sou muito honesta, a gente ve na tv os furtos que fazem na cara dura e ninguem faz nada vira tudo em pizza, se for um pobre vai para cadeia tem que pagar, quanta injustiça e até quando o povo vai aguentar isso.

  6. ? Elizabeth Maria de Melo disse:

    Eu não ganho a vida no mole como tem certas pessoas que querem só moleza tenho que trabalhar para sobreviver ajudar meus filhos nos estudos, só queria saber se alguem de voces irião viver com salário minimo pagando aluguel com remedios para comprar todo mês e colocar a comida dentro de casa, porque saco vazio não para em pé, mas isso acontece só aqui no Brasil porque nos países de fora é totalmente diferente não tem nem comparação.

  7. ? Elizabeth Maria de Melo disse:

    É uma vergonha o que fazem com os aposentados agora está essa novela do fator previdenciario que não sabem quando vão aprovar só que novela sempre tem um final feliz enquanto que esse projeto não vai ser a mesma coisa tem vários projetos parado no plenário com relação aos aposentados, fizeram de travesseiro os projetos para dormir emcima, sou aposentada à 12 anos e tenho que trabalhar para sobreviver porque esse maldito fator previdenciario come metade do meu beneficio e como que fica esses 12 anos que estou trabalhando e contribuindo para inss será que irão devolver esse dinheiro para mim? sim porque é um dinheiro sofrido e suado, na verdade tem muito come e dorme neste país, isso pra mim é vergonhoso. Alguem tem que tomar uma providencia