Brasil vive o pior clima econômico desde 1991

notas_real_50_2_de_1Dados da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que em julho deste ano o Indicador de Clima Econômico (ICE) chegou aos 55 pontos, o menor patamar desde 1991. O que mais pesou para esse resultado foram as consecutivas revisões para baixo do PIB, atualmente estabelecido em 0,81%.

O ICE é medido pela Sondagem da América Latina, realizada pela FGV em parceria com o instituto alemão IFO. O levantamento é apurado a cada três meses. A pesquisa atual mostra que o Brasil registrou um recuo de 22,5% em comparação ao mês de abril.

Segundo a economista Lia Valss, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre), da FGV, a piora no ICE se deve principalmente a fatores domésticos. “Houve um aumento muito grande no peso que se dá aos problemas que o Brasil tem, como inflação, falta de confiança no governo. Problemas que antes não eram complicados para o país”, disse Lia.

O recuo brasileiro ficou atrás até mesmo do registrado pela Argentina, que caiu de 75 pontos em abril para 57 em julho. Na América Latina, o único país com um clima econômico pior que o do Brasil é a Venezuela, que registrou 20 pontos no último levantamento, patamar mínimo da pesquisa.

 

Deixe um comentário