Brasil registra o menor superávit primário em seis anos

Fonte: monitorinvestimento.com.br
BRASÍLIA (Reuters) – O setor público brasileiro registrou em agosto o menor superávit primário para o período em seis anos e o resultado acumulado em 12 meses se aproximou do limite inferior da meta fiscal para 2009, mostraram dados do Banco Central nesta quarta-feira.
A economia feita pelo governo federal, Estados, municípios e estatais para o pagamento de juros caiu a 5,042 bilhões de reais em agosto –metade do saldo de 10,084 bilhões de reais registrado no mesmo mês do ano passado.
A queda reflete a retração das receitas do governo em meio ao desaquecimento da economia e à elevação dos gastos públicos –parte dos quais foram voltados para medidas anticíclicas.
Em 12 meses encerrados em agosto, o superávit primário foi equivalente a 1,59 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), ante 1,77 por cento do PIB em 12 meses até julho.
A meta do governo para o resultado primário em 2009 é de 2,5 por cento do PIB, mas o resultado pode cair a 1,56 por cento do PIB com o abatimento das despesas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do projeto “Minha Casa, Minha Vida”.
“Mas a meta é de 2,5 por cento, e o governo está trabalhando para cumpri-la”, ressaltou o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, a jornalistas ao comentar os dados.

DÍVIDA ESTÁVEL
A dívida líquida do setor público permaneceu estável em agosto na comparação com julho, a 44 por cento do PIB. O BC prevê que a relação subirá a 44,5 por cento em setembro, impactada pela valorização do real frente ao dólar, e chegue ao final do ano em 43,3 por cento do PIB.
“A dinâmica da dívida no curto prazo hoje depende em grande medida do comportamento do câmbio, você tem ativos significativos indexados a câmbio”, afirmou Lopes. Ele acrescentou que no médio prazo a queda dos juros ainda terá um impacto importante sobre a dívida.
A projeção do BC para a dívida em 2009 leva em conta o cumprimento da meta primária de 2,5 por cento do PIB. Caso o resultado efetivo fique em 1,56 por cento do PIB, a dívida fechará o ano em 44,2 por cento, caindo a 40,9 por cento em 2010.

No final de 2008, a dívida estava em 38,8 por cento do

PIB.

No mês passado, o governo central registrou superávit primário de 3,899 bilhões de reais, enquanto os governos regionais fizeram superávit de 1,103 bilhão de reais e as estatais tiveram saldo positivo de 41 milhões de reais.
O vencimento de juros foi de 13,204 bilhões de reais e, com isso, o país teve déficit nominal de 8,162 bilhões de reais.

Deixe um comentário