Bolsonaro diz que sofre preconceito por ser heterossexual

Fonte: opiniaoenoticia.com.br
Deputado também voltou a dizer que ‘não teria orgulho de ter um filho gay’.
 
Após o caso das declarações consideradas racistas que deu no programa CQC, da Band, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) voltou a provocar polêmica nesta quarta-feira, 27, ao atacar indiretamente o deputado homossexual assumido Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é também professor.

A troca de farpas ocorreu durante uma audiência sobre segurança pública da Comissão de Direitos Humanos da Câmara que recebeu o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Bolsonaro aproveitou para criticar o kit “Escola Sem Homofobia”, do MEC, que batizou como “kit gay”, e também o Plano Nacional de Cidadania LGBT, que chamou de “vergonhoso”.

O deputado voltou a dizer que “não teria orgulho de ter um filho gay” e afirmou ainda: “Uma pessoa já disse aqui que as melhores professoras que teve foram as prostitutas… Tem professor que é gay. Será que é bom também?”.

Preconceito por ser heterossexual
A presidente da comissão, Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), advertiu Bolsonaro, afirmando que não aceitaria “provocação” e que o deputado “se faz de ingênuo”.

Bolsonaro negou que tenha ofendido algum parlamentar. Jean Wyllys, por sua vez, disse que estava “profundamente ofendido” com as declarações. Aos gritos, Bolsonaro afirmou que estava sendo vítima de preconceito por ser heterossexual.

O ministro José Eduardo Cardozo foi solidário ao deputado do PSOL e defendeu o kit do MEC contra a homofobia.

Deixe um comentário