BBB: o maior vilão da TV?

Por Hugo Souza – opiniaoenoticia.com.br

Na tarde do último dia 8 de janeiro, data em que o reality show Big Brother Brasil 13 começou a ser exibido, na Rede Globo, um usuário do famoso serviço online de tira-dúvidas Yahoo! Respostas postou a seguinte indagação: “Faltam quatro horas para a estreia do BBB13. Você está morrendo de ansiedade?”.

Um outro usuário não tardou a responder: “Estou promovendo uma campanha contra essa titica de programa, pois somente pessoas de baixo nível e dementadas é que curtem tal coisa. Hoje, vamos mudar de canal ou desligar a TV assim que começar”.

Mudar de canal? Talvez a maior questão acerca do BBB, do 1 ao 13, seja exatamente saber por que o reality global virou o grande bode expiatório da miséria da TV aberta brasileira, cuja programação está recheada de programas de auditório para lá de sensacionalistas, que submetem pobres ao ridículo em troca da reforma do barraco; de dramaturgias ancoradas em cenas com apelos sexuais; e do mais rasteiro telecharlatanismo, praticado por “pastores” bons de palco e pós-graduados no evangelho da enganação.

Extra! Extra! Fani dá conferida em silicone de Marien!

Ao contrário do que acontece na maior rede social do mundo em relação às novidades do BBB, ninguém faz campanha para que os usuários não “poluam” o Facebook compartilhando as exortaçõe$ dos reverendo$ midiático$…

Mas, afinal, o que o BBB tem que os outros não tem e que tanto irrita as pessoas (leia-se: os internautas), ou pelo menos boa parte delas? Talvez seja o fato de que o programa, na altura da sua décima terceira edição, está em queda livre no Ibope, mas é um sucesso na internet, exatamente onde a sede de autoafirmação, o egocentrismo, o voyeurismo e os julgamentos morais já marcaram lugar, vide o dia-a-dia, ou melhor, as linhas do tempo do próprio Facebook, fundado por Mark Zuckerberg, o John de Mol da web.

Os sites de notícias estão repletos de manchetes como “Andressa e Nasser esquentam o clima embaixo do edredom”, “Fani dá conferida em silicone de Marien”, “Aline chama Eliéser de ‘picolé de chuchu’” ou “Anamara aconselha Fernanda sobre André: ‘Manda ele pastar’”.

BBB12: salvo por um suposto estupro

Voltando à TV, o BBB13 alcançou 25 pontos no Ibope na sua estreia, o menor índice registrado pelo programa desde sua primeira edição, cuja primeira noite teve impressionantes 48,7 pontos de audiência. A formação do primeiro paredão do BBB13 também não despertou a atenção dos telespectadores: na noite do último domingo, 13, o programa comandado por Pedro Bial teve “apenas” 16 pontos de média.

Por outro lado, das cinco matérias mais lidas no portal da revista Veja na última terça-feira, 15, quatro eram sobre o BBB13, inclusive a notícia: “Aline e Ivan são os excluídos da piscina”; dos cinco vídeos mais vistos no portal Globo.com, quatro eram sobre o reality show; e a enquete do portal Terra instigava o leitor a responder: “Quem deve sair no primeiro paredão do BBB13?”.

Pela TV ou pela Web, o fato é que muita gente (ainda) acompanha as desventuras dos “heróis” da “casa mais vigiada do Brasil”, e um dos maiores sintomas disso é que a edição do programa exibida no ano passado chegou ao fim com mais de 300 ações de merchandising de 19 marcas diferentes exibidas junto com as “espiadinhas”. Aquele BBB, o 12, havia ensaiado uma audiência sofrível, que só subiu, e muito (80% a mais de interesse do público), depois do suposto abuso sexual do “brother” Daniel Echniz contra a “sister” Monique Amim.

Caro leitor,

 

Diante de tantos programas de gosto duvidoso, para dizer o mínimo, na grade de programação da TV aberta do Brasil, por que o Big Brother tem sido apontado como o grande vilão da “telinha”?

Deixe um comentário

Um comentário para “BBB: o maior vilão da TV?”

  1. ? Joel disse:

    O caso e o seguinte: a midia vive de audiencia, nao importando pra ela a qualidade das pessoas que estao vendo o apresentado, que na verdade sao mentes sem um minimo de cultura e senso moral pra notarem que estao apenas sendo manipuladas por experts em iludir analfabetos culturais. Ora, como pode uma pessoa perder seu tempo em assistir tanta palhaçada armada com cartas marcadas, que pena desses acefalos facilmente manipulaveis.