Demóstenes para Cachoeira: “Se você quiser votar, tudo bem, vou atrás”

Fonte: congressoemfoco.com.br

Áudio transcrito pelo Globo e divulgado pela Record mostra senador se comprometendo a dar andamento a projeto de lei a pedido de bicheiro

Um áudio obtido pela TV Record mostra a estreita relação entre o “doutor” e o “professor”. “Doutor” é a forma pela qual o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, chama o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que saúda o homem acusado de comandar a máfia dos caça-níqueis em Goiás como “professor”. Na conversa, também reproduzida pelo jornal O Globo, Demóstenes se compromete a fazer andar, a pedido de Cachoeira, um projeto de lei que transforma em crime o que hoje é contravenção, a exploração de jogos de azar. Antes, porém, o parlamentar adverte o amigo de que a proposta pode prejudicar seus negócios.

“Fala, professor! Eu peguei o texto da lei ontem para analisar, é aquela que transforma contravenção em crime. Que importância tem a aprovação disso?”, pergunta o senador ao bicheiro. Os dois se referem ao Projeto de Lei 7.228/02, da Câmara. Cachoeira discorda de Demóstenes, alegando que o projeto não “pega ninguém” e que regulamenta as loterias estaduais.

Confira a conversa, divulgada pela TV Record:

Mesmo discordando do bicheiro, o senador diz que vai dar andamento ao pedido dele. “Regulamenta, não (as loterias estaduais). Vou mandar o texto procê. O que tá aprovado lá é o seguinte: ‘transforma em crime qualquer jogo que não tenha autorização’. Então inclusive te pega, né? Então vou mandar o texto pra você. Se você quiser votar, tudo bem, eu vou atrás. Agora a única coisa que tem é criminalização, transforma de contravenção em crime, não regulariza nada”, avisa.

De acordo com O Globo, Cachoeira pede a Demóstenes que solicite ao então presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), hoje vice-presidente da República, que dê andamento à proposta. O senador promete ajuda ao bicheiro e diz que vai tentar fazer com que o plenário da Câmara vote o projeto. A votação, porém, nunca aconteceu. O diálogo ocorreu no dia 22 de abril de 2009.

Há três semanas, Demóstenes subiu à tribuna do Senado para tentar explicar por que conversou mais de 300 vezes com o bicheiro, conforme revelou a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal. O senador atribuiu as constantes conversas a uma relação de amizade. Ele afirmou, ainda, que não sabia que o amigo ainda mantinha negócios com jogos de azar.

O projeto citado por Cachoeira foi apresentado pelo ex-senador Maguito Vilela (PMDB-GO), que foi padrinho de casamento do bicheiro. Maguito é prefeito de Aparecida de Goiânia, município que integra a região metropolitana da capital de Goiás.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco (vídeo de 2 minutos

Deixe um comentário