Brasil  

Azeredo e Heráclito impedem moção em defesa da Embaixada brasileira

Fonte: horadopovo.com.br
No momento em que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ia colocar em votação no plenário o requerimento de voto de censura e repúdio ao cerco dos golpistas hondurenhos contra a Embaixada brasileira, o senador Heráclito Fortes (Dem-PI), membro da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), pediu a retirada da pauta de votações do requerimento aprovado na comissão na terça-feira (22).
Ele alegou que a comissão reexaminaria o requerimento aprovado porque teve informações posteriores de que a Embaixada estaria abrigando cerca de 110 pessoas aliadas do presidente Manuel Zelaya e que “o Brasil não tem tradição de envolver-se nas questões internas dos países”. A “questão interna” que Heráclito quer ignorar é simplesmente a ameaça de invasão truculenta à representação diplomática brasileira.
Já o presidente da CRE, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), apoiou Heráclito dizendo que “uma coisa é repudiarmos a agressão à embaixada. A outra é a permanência de um número excessivo de pessoas”. Com certeza, se essas pessoas dependessem do senador tucano para escaparem dos golpistas hondurenhos estariam em maus lençóis agora. Na época de Hitler, o senador seria condecorado pelos nazistas por entregar “excesso” de pessoas para as câmaras de gás.

Deixe um comentário