Arruda está abatido, mas não fala em renúncia, diz advogado

Luana Lourenço
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Preso desde ontem (11) na Superintendência da Polícia Federal, o governador licenciado do Distrito Federal, José Roberto Arruda, está “abatido”, mas não cogita renunciar. A informação é do advogado de Arruda, Nélio Machado, que visitou o governador na noite de hoje (12).

“Não ouvi dele a palavra renúncia”, disse Machado ao deixar a sede da PF.

O advogado disse que vai encaminhar uma petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) para que avalie o mais rápido possível o mérito do pedido de habeas corpus negado em caráter liminar pelo ministro Marco Aurélio Mello na tarde de hoje. Machado acredita que o julgamento deve ser marcado para a Quarta-feira de Cinzas (17) ou, no máximo, para a quinta-feira (18).

Machado informou que o governador está lendo para passar o tempo. Arruda também recebeu uma cama. “É pequenininha, mais ou menos como uma cama de criança, tem que dormir encolhido”, relatou o advogado.

Desde que se apresentou à PF, no fim da tarde de ontem, Arruda não recebeu visitas da família. Machado disse que conversará com os familiares e vai consultar as regras da Polícia Federal para essa possibilidade.

Arruda está uma sala do Instituto Nacional de Criminalística da PF. De acordo com o advogado, há um policial guardando a porta, mas outros agentes têm acesso livre à sala. Enquanto conversava com o governador na noite de hoje, dois policiais entraram na sala, relata Machado.

Deixe um comentário