Brasil  

Arcebispo de Brasília lamenta corrupção nos 50 anos da cidade

Fonte: contasabertas.com.br
A prisão do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, pode ser considerada uma “zebra”, principalmente diante da impunidade observada em recentes escândalos políticos no país. O assunto, que já tinha diminuído de intensidade até a divulgação da suposta tentativa de suborno ao jornalista Edson Sombra, voltou a dominar qualquer roda de conversa entre os brasilienses. A prisão de Arruda não era imaginada nem pelos mais otimistas na capital federal, que hoje comemoraram o desfecho do caso em diversos pontos da cidade. Apesar das manifestações a favor, também ocorreram atos de defesa de Arruda. Em entrevista ao Contas Abertas (CA), o arcebispo de Brasília, Dom João Braz de Aviz (foto), lamentou “profundamente o caso, principalmente no aniversário dos 50 anos de Brasília”.

Enquete realizada no site do CA, que foi ao ar entre 17 de dezembro de 2009 e 28 de janeiro deste ano com a pergunta: “O governador Arruda vai permanecer no cargo até o fim do mandato, em 2010?”, revelou que quase 71% das pessoas acreditavam que nada iria acontecer. O restante afirmou que as denúncias apuradas na Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, seriam esquecidas (23%) e que Arruda iria renunciar ao cargo (13%). Ir para a prisão não estava em nenhuma opção da pesquisa, que recebeu quase 500 votos no período.

Para o arcebispo de Brasília, a prisão de Arruda não é um fato surpreendente, apesar se ser o primeiro caso de um governador no país a ser preso. “O caso envolvendo o governado Arruda é muito complexo. A prática da corrupção faz parte da cultura política do país e deve ser banida em todos nós”, adverte. Dom João afirma que o desfecho provisório do caso que envolve o governador é um grande alerta para todos. “Ainda veremos muitas decisões em torno do caso. E se começarem a analisar mais a fundo a política brasileira, aí sim teremos um capítulo novo na história do país”, acredita.

De acordo com o arcebispo, é preciso lembrar que a corrupção não está presente apenas nos poderes Executivo e Legislativo, mas também no Judiciário. “Nós lamentamos profundamente o caso, principalmente no aniversário dos 50 anos de Brasília. Quanto à comemoração da população por causa da prisão de Arruda, creio que todos nós deveríamos colocar a mão na consciência antes de comemorar”, admite.

Para o cientista político David Fleischer, da Universidade de Brasília, a prisão de Arruda deve ser comemorada por todos aqueles que lutam contra a corrupção e impunidade no país. Segundo ele, foi um grande marco na política brasileira. “A prisão me surpreendeu pela velocidade. O ministro relator do inquérito no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Fernando Gonçalves, foi muito rápido. Surpreendeu-me, ainda mais, o fato do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), ter negado o pedido de habeas corpus à Arruda”, afirma.

Deixe um comentário

Um comentário para “Arcebispo de Brasília lamenta corrupção nos 50 anos da cidade”

  1. ⇒ Stefano disse:

    é engraçado ver a igreja condenando corrupção.. como se ela fosse limpá e honesta