Apesar de não disputar a Presidência, Lula foi citado por 5% dos entrevistados na CNT/Sensus

Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Apesar de não poder concorrer à Presidência da República, na consulta espontânea, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi citado por 5% dos entrevistados pela pesquisa do Instituto Sensus, encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgada hoje (5). A pesquisa também mediu a expectativa de vitória para as eleições presidenciais, independentemente de em quem o eleitor vai votar. Nesse quesito, a candidata petista Dilma Rousseff lidera com 47,1%, o tucano José Serra aparece com 30,3%, e Marina Silva, candidata do PV tem expectativa de vitória de 2,2%.

A pesquisa apontou a candidata petista Dilma Rousseff 10 pontos à frente do tucano José Serra para o cenário de primeiro turno, tanto na estimulada – quando os nomes dos candidatos são apresentados aos pesquisados – quanto na espontânea, quando se pergunta em quem o eleitor vai votar.

Na última pesquisa CNT/Sensus, divulgada em maio deste ano, apresentou empate técnico entre os presidenciáveis Dilma Rousseff e José Serra , com uma leve vantagem da petista sobre o tucano. A petista recebeu 35,7% das intenções de voto, enquanto o tucano ficou com 33,2%. Em maio, a candidata Marina Silva apareceu também em terceiro lugar, com 7,3% dos votos.

O levantamento também apontou que José Serra lidera o índice de rejeição com 30,8%. Marina aparece em segundo lugar, com 29,7%. Já Dilma Rousseff apresentou nível de rejeição de 25,3%.

Para o presidente da CNT, Clésio Andrade, o desempenho de Dilma na pesquisa é um efeito do aumento do seu nível de conhecimento. “Na medida em que ela vai sendo conhecida, seu desempenho melhora. Isso significa que ela adquire a cada dia identidade política”, avaliou.

Clésio Andrade ainda ressaltou que as críticas adotadas por José Serra nas últimas semanas podem ter contribuído para sua queda. “O eleitor não gosta de crítica. Criminalizar quem faz avanço social com certeza não é um bom negócio nesta eleição em que temos um governo muito bem avaliado”, considerou Clésio Andrade”, destacou.

A pesquisa foi feita entre os dias 31 de julho e 2 de agosto, com dois mil entrevistados, e registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 29 de julho de 2010, sob o número 21411/2010. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

Para um eventual segundo turno entre Dilma e Serra, a consulta CNT/Sensus apontou que a petista venceria o tucano por 48,3% contra 36,6%. Os votos brancos e nulos para o segundo turno chegariam a 5,7% e de eleitores ainda indecisos, a 9,6%.

Em um cenário de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista também sairia vitoriosa com 55,7% da preferência do eleitorado. A candidata verde teria 23,3%. Brancos e nulos somariam 9,4% e os indecisos, 11,7%.

Já um segundo turno entre José Serra e Marina Silva, o tucano venceria com 50% dos votos e a senadora alcançaria 27,8%. Os brancos e nulos neste cenário somariam 9,9% e os eleitores indecisos contabilizariam 12,4%.

Edição: Talita Cavalcante

Deixe um comentário