Saúde  

Antibióticos estão perdendo a eficácia em todo o mundo, alerta OMS

 .

Conforme previu Alexander Fleming em 1945 (ao receber o premio Nobel pelo descobrimento da penicilina), “existe o perigo que um homem ignorante possa facilmente se autoaplicar uma dose não compatível de antibiótico, e, ao expor os micróbios a uma quantidade não letal do medicamento, os torne resistentes”.

Embora o problema seja antigo, a OMS tentou – pela primeira vez – dimensioná-lo, solicitando aos 194 países que compõem a organização o envio de seus dados mais recentes sobre sete bactérias resistentes a antibióticos. Apenas 114 desses países mantinham informações sobre algumas das bactérias avaliadas pela instituição, o que denota a falta de controle dos países sobre tais patógenos.

Leia mais: Superbactérias podem apagar um século de avanços da medicina

De acordo com a organização, caso seja mantido o panorama atual, doenças como diarreia, septicemia, pneumonia e gonorreia serão quase intratáveis, fato que representa uma ameaça à saúde global. “Se não tomarmos medidas importantes para melhorar a prevenção das infecções e não mudarmos nossa forma de produzir, prescrever e utilizar os antibióticos, o mundo sofrerá uma perda progressiva desses bens da saúde pública mundial com repercussões devastadoras” disse Keiji Fukuda, subdiretor geral da OMS.

Segundo o informe, a superbactéria Klebsiella pneumoniae, identificada pela primeira vez nos Estados Unidos, em 2000, depois de ter sofrido uma mutação genética e adquirir resistência aos antibióticos, está presente em todo o mundo. O agente já resiste aos efeitos do tratamento de último recurso, um grupo de antibióticos chamados carbapenemas, o que pode estar relacionado ao uso indiscriminado ou incorreto desses medicamentos. A gonorreia é outro exemplo de enfermidade cujo vírus vêm adquirindo resistência aos medicamentos que facilmente a controlavam.

Nos Estados Unidos, mais de dois milhões de pessoas são infectadas por micro-organismos resistentes a drogas a cada ano, conforme o Centers for Disease Control and Prevention (Centro de Controle e Prevenção de Doenças do país).

 

 

               www.opiniaoenoticia.com.br

Deixe um comentário