Brasil  

Alencar: é cedo para afirmar que Brasil está isolado na defesa do Irã

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O presidente da República em exercício, José Alencar, afirmou hoje (19) que ainda é cedo para dizer que o Brasil está isolado na posição de defender o acordo sobre enriquecimento de urânio estabelecido com o Irã, apesar de os Estados Unidos terem anunciado que tem o apoio de outros países para que o Conselho de Segurança das Nações Unidas aplique novas sanções ao país.

“Acho que é muito cedo [para considerar que o Brasil esteja em uma posição isolada] e mesmo que estivesse, estaria isolado ao lado de alguma coisa importante que é o diálogo e a paz”, disse Alencar após cerimônia de comemoração dos 23 anos do Hospital da Força Aérea de Brasília.

Questionado sobre o ceticismo americano no acordo firmando com o Irã, Alencar disse que o ceticismo é um direito dos Estados Unidos, mas que o Irã também deve ter o direito à credibilidade e defendeu os esforços pelo diálogo estabelecidos pelo Brasil.

“Nós acreditamos que o Irã, com todas as tradições de berço da civilização oriental, tem direito a uma credibilidade. O que o Brasil está tentando é continuar um diálogo, ou melhorar o diálogo para que se verifique se de fato o que o Irã deseja é o que ele se compromete no tratado que assinou com o Brasil”, afirmou.

Durante visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Irã, no dia 17, o Brasil e a Turquia fecharam um acordo para que o urânio iraniano levemente enriquecido seja enviado ao território turco e, em troca, o país receberia o produto enriquecido a 20%.

Edição: Talita Cavalcante

Deixe um comentário