Aécio Neves acusa Lula de ‘virar líder de facção política’

Fonte: votebrasil.com

Senador eleito esteve no Piauí para reforçar a campanha de José Serra. Aécio se referia à postura de Lula no episódio da suposta agressão a Serra.

O ex-governador de Minas Gerais e senador eleito pelo PSDB do estado, Aécio Neves, acusou na tarde desta sexta-feira (22), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de “virar líder de facção política”.

O senador eleito se referia à postura do presidente no episódio da suposta agressão ao candidato tucano à Presidência, José Serra na quarta-feira (20), no Rio de Janeiro. Lula acusou a campanha do tucano de mentir sobre a agressão.

“O presidente se despe da condição de chefe de Estado para virar líder de facção política”, disse o ex-governador nesta sexta.

Procurado pelo G1, o Palácio do Planalto informou que não irá se manifestar sobre as declarações de Aécio Neves.

Aécio esteve na tarde desta sexta-feira em Teresina (PI) acompanhado pelo secretário nacional do PSDB, deputado federal Rodrigo de Castro. O obejtivo da visita ao Piauí é reforçar a campanha de Serra e do candidato tucano a governador do estado, Sílvio Mendes. Aécio ainda considerou as agressões contra o tucano como “lamentáveis”.

“As agressões contra Serra são lamentáveis. A democracia pela qual tanto lutamos é um patrimônio maior que uma eleição ou um grupo político.

O presidente da República, ao reagir de forma ofensiva a um candidato que foi efetivamente agredido, ao adentrar em discussões ou análise de relatórios da Polícia Federal de forma absolutamente equivocada, violenta as instituições de Estado, como vem fazendo em favor de sua candidata [Dilma Rousseff], disse o tucano.

Em defesa à candidatura de Serra, Aécio afirmou que a militância vai “lutar até o último momento” da campanha para a Presidência.

“Vamos lutar até o ultimo momento, e estamos assistindo a recuperação de Serra em algumas regiões.

Vamos lutar com nossas armas, sem ofender, sem agredir e sem deixar de ter respeito por nossos adversários. Serra tem melhores condições de dar continuidade ao que há de bom até aqui e avançar muito mais.”

O senador eleito ainda afirmou que reconhece “o avanço do governo do PT”, mas ressaltou que o partido foi contra algumas questões que os tucanos consideram fundamentais.

“O Brasil avança, reconheço isso, mas começou muito antes do governo Lula. O PT votou contra o plano Real, contra a Lei de Responsabilidade Fiscal. Reconheço o avanço do governo do PT, mas precisa agir e reconhecer que cada governo que passou colocou um tijolo no desenvolvimento brasileiro.”

Deixe um comentário