Governo Central fica negativo em R$ 2,2 bi e tem pior resultado desde 1997

.
Daniel Lima – Repórter da Agência Brasil

.
notas_real_50_2_de_1-4O Governo Central (Banco Central, Tesouro Nacional e Previdência Social) registra, em julho, o pior resultado primário da série histórica, iniciada em 1997. No mês, o resultado ficou negativo em R$ 2,2 bilhões, ante o déficit de R$ 1,9 bilhão de junho. Os números foram divulgados hoje (29) pelo Tesouro Nacional.

Em 2014, até julho, o superávit primário do Governo Central somou R$ 15,2 bilhões – o equivalente a 0,52% do Produto Interno Bruto (PIB). Entre outros, a receita do setor apresentou acréscimo de 8,5% relativamente ao mês anterior, devido, principalamente, ao recolhimento, no mês de julho, da primeira cota ou cota única do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e da participação especial de parte das compensações financeiras, apurada trimestrealmente.

No mês, as despesas do Governo Central aumentaram R$ 9,9 bilhões (12,3%), explicado pelo Tesouro Nacional, como consequência da antecipação da gratificiação natalina dos servidores do Poder Executivo, início do pagamento do benefício do abano salarial (FAT) e acréscimo dos investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O secretário do Tesouto Nacional, Arno Agustin, detalha do resultado ainda nesta manhã.

Deixe um comentário